Anderson – O maestro que perdeu a batuta

Tinha apenas 17 anos quando, Anderson Luís de Abreu Oliveira, apareceu na equipa principal do Grêmio de Porto Alegre. Cedo começou a dar nas vistas e, consequentemente, a ver o seu nome associado a grandes clubes europeus (Benfica, Porto e Sporting incluídos).

Depois de alguma polémica, assina, em 2005-2006, pelo FC Porto, sendo orientado pelo holandês, Co Adriaanse. Nessa mesma época, Anderson, teve muitos poucos minutos de jogos (apenas 3 jogos na liga portuguesa). Na época seguinte houve mudança no comando técnico, sendo o holandês substituído por Jesualdo Ferreira. O treinador português viu em Anderson qualidades para pegar na batuta da equipa e ser o maestro. E assim foi. Nesse ano, Anderson, demonstrou um grande potencial, até que se lesionou com gravidade, em Outubro, n’O Clássico ante o Benfica. Ficou fora dos relvados até Abril. Com normalidade, o brasileiro, perdeu fulgor e ímpeto demorando a retomar a forma que havia exibido no princípio da época.

anderson1

Ainda assim, no final da época, Sir Alex Ferguson, então treinador do Manchester United, impressionado com as qualidades do brasileiro, não perdeu tempo e fez um gasto exorbitante para adquirir o passe do jogador (30 milhões por um jogador de 20 anos!). O brasileiro passou 6 épocas consecutivas em Old Trafford ( o ano passado, em Janeiro, foi cedido à Fiorentina) . Nessas 6 épocas fez 104 jogos na Premier League e marcou apenas 5 golos . Muitas pessoas afirmam que a culpa deste insucesso é de Alex Ferguson  por ter colocado o brasileiro numa posição mais recuada no meio-campo, tirando assim poder de criatividade ao jogador, remetendo-o para segundo plano na equipa (outros crêem que se deveu à lesão ainda nos tempos de dragão ao peito). Este ano, já com  Louis Van Gaal no comando técnico, o brasileiro tem alternado entre a equipa principal (apenas 1 jogo) e a equipa secundária do emblema de Manchester.

Sem dúvida, Anderson, era um predestinado ao sucesso, ou pelo menos tudo faria prever para que assim fosse, mas, inegavelmente, vai ficar na história do Manchester United como um dos gastos mais absurdos de sempre (Bebé também figura na lista). Pelas terras de Sua Majestade, o brasileiro, afastou-se, completamente, dos holofotes, sendo agora considerado um excedentário do plantel. Nestes últimos dias tem corrido a notícia de que o seu clube está disposto a pagar 1,8 milhões de euros para rescindir contrato com o jogador, deixando-o assim livre para escolher o seu próximo clube.

Triste panorama para um jogador que tanto entusiasmou aquando da sua passagem por Portugal, mas que, infelizmente, se deixou adormecer (‘Andersono’?).

Deixamos aqui o vídeo do momento que muitos afirmam ter sido um motivo da decadência exibicional do brasileiro

Anúncios