Análise ao Légia de Varsóvia – campeão polaco quer sarar feridas com novo treinador

O Sporting joga esta terça-feira frente ao Légia de Varsóvia, num jogo a contar para a segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões e, se é certo que os outros dois adversários dos leões no grupo F – Borussia Dortmund e Real Madrid – dispensam apresentações, o mesmo não se pode dizer do clube polaco.

Apesar de ser uma das maiores forças futebolísticas do seu país, tendo vencido três dos últimos quatro campeonatos disputados (venceu doze, no total, embora um não seja reconhecido pela federação), o Légia não tem uma grande história para contar no panorama internacional. O maior feito do clube foi alcançado no longínquo ano de 1970, com a chegada às meias-finais da Liga dos Campeões e temos de recuar à época de 95-96, quando foram eliminados pelos gregos do Panathinaikos nos quartos-de-final, para assinalarmos a presença da equipa de Varsóvia na fase de grupos da maior competição de clubes da Europa,

Atual detentor do título de campeão do Ekstraklasa (primeira liga polaca), adivinha-se um ano futebolístico mais complicado do que aquele que passou para a equipa da capital.

As saídas do treinador Stanislav Cherchesov para a seleção da Rússia e de jogadores nucleares como Ondrej Duda e Ariel Borysuk foram impulsionadoras de um início bastante conturbado, que já ditou o despedimento do treinador Besnik Hasi, contratado no Verão. A equipa, agora orientada por Jacek Magiera, ocupa a antepenúltima posição do campeonato, somando 10 pontos em 10 jogos, não tendo sequer alcançado uma vitória caseira, nos cinco jogos que já realizou dentro das suas portas. Como se isso não bastasse para irritar os adeptos polacos (e ninguém gosta de os ver de mau-humor), os polacos perderam ainda a Supertaça, foram eliminados da Taça por uma equipa da segunda divisão e ainda foram vergados pelo Borussia Dortmund com um expressivo 0-6.

Modesto, num momento de forma não recomendável e com um treinador que se estreará neste jogo, é natural assumirmos o Légia como underdog para este jogo, tal como em 2011-2012, quando os leões, orientados por Ricardo Sá Pinto eliminaram o adversário de hoje nos 16-avos-de-final da Liga Europa (2-3, no conjunto das duas mãos). Ainda assim, o Légia terá os seus pontos fortes. Se assim não o fosse, não estariam na Liga dos Campeões. O Box-to-Box apresenta algumas das evidências que devem acautelar a equipa.

Novo treinador: Jacek Magiera estreia-se hoje, em Alvalade, ao serviço da equipa principal do Légia. O treinador polaco já conhece os cantos à casa, tendo sido jogador durante quase uma década, para além dos anos passados no staff técnico da equipa principal e como treinador da equipa secundária. Os jogadores quererão mostrar serviço ao novo treinador que, em abono da verdade, terá muito trabalho pela frente se ainda pretende lutar por títulos esta época.

Nemanja Nikolić: O avançado húngaro assume-se como a estrela desta equipa. Vindo de uma época de sonho, foi o melhor marcador do campeonato na sua época de estreia (28 golos), o que lhe valeu a chamada à seleção do seu país no Euro 2016. Excelente finalizador e com um sentido posicional acima da média, já leva nove golos em 17 jogos esta época Coates e Semedo deverão estar atentos para evitar surpresas.

Bolas paradas e jogo aéreo: Apesar de também constituírem o seu ponto mais débil no aspeto defensivo, também será por aqui que o Légia poderá investir para tentar bater Rui Patrício. Os polacos, como é habitual, têm jogadores possantes na sua equipa e poderão criar perigo nos cantos e livres que surgirem a favor da sua equipa. A insistência em cruzamentos para a área também era uma aposta do antigo treinador, que poderá estar ainda enraizada nos jogadores. O próprio Nikolić e o seu colega de ataque Aleksandar Prijovic devem ser travados.

Para este jogo, pressupõe-se que o treinador não fará grandes mudanças no onze. Malarz será o guarda-redes e as escolhas para o quarteto defensivo deverão recair em Lukasz Broz, Jakub Rzezniczak, Jakub Czerwinski e Adam Hlousek. Odjidja-Ofoe e Thibaut Moulin deverão ser titulares no miolo do meio-campo mas resta saber em que esquema estará disposta a equipa mais à frente. Guilherme e Langil poderão cair nas alas para Nikolić e Prijovic formarem a dupla atacante ou o segundo sairá do onze para dar lugar a um dos médios: Kopczynski ou Radovic.

Jacek Magiera não poderá contar com o central e capitão de equipa, Michael Pazdan, que tem estado ausente devido a uma lesão no ombro.

O jogo Sporting vs Légia será às 19:45, no Estádio José de Alvalade.

Texto de Rafael Soares.

Anúncios