Talisca gela Inferno da Luz no último minuto (1-1)

O Benfica empatou com Besiktas na primeira jornada da Liga dos Campeões. Os encarnados cederam dois pontos no último minuto da partida com um golo marcado por Talisca… jogador emprestado aos turcos.

talisca

 

Filme de jogo:

Primeira parte marcada pela forma como o Benfica controlou o Besiktas. O facto de Rui Vitória ser obrigado a jogar sem uma referência fixa, na frente de ataque, parece ter deixado os turcos algo confusos com as marcações. O golo acabaria mesmo por aparecer depois de uma jogada entre André Horta, Salvio e Cervi. O jovem português lançou o número 18 que rematou para defesa apertada de Tolda. Cervi apareceu na hora e no momento certo (18′) e só teve de encostar.

A partir do golo, os encarnados revelaram uma maior tranquilidade na circulação de bola ao passo que os turcos demonstravam alguma incapacidade no jogo interior, optando por grande parte das vezes procurar os extremos para tentar criar desequilíbrios. Até final do 45 minutos tempo ainda para Guedes desperdiçar uma boa oportunidade e para um remate perigoso de André Horta.

Segundo tempo a ser a antítese do primeiro. O Besiktas apareceu mais esclarecido e disposto a criar problemas as águias. Se na primeira parte o Benfica reagiu bem ao facto de jogar sem um ponta-de-lança fixo, na segunda parte tal opção tática foi um entrave para os jogadores. Nota também para a entrada de Talisca: o brasileiro, emprestado pelo Benfica aos emblema turco, apareceu bem no jogo dando maior criatividade ao meio-campo dos turcos.

O tempo corria e a única opção tomada pelo corpo técnico do Benfica – hoje sem Rui Vitória no banco, a cumprir castigo – foi a entrada de Samaris para a saída de Cervi. A entrada do grego deveu-se sobretudo pela fragilidade que os encarnados apresentavam no centro do terreno.

Aos 84 minutos oportunidade soberana para Gonçalo Guedes desperdiçada inacreditavelmente mas com uma grande defesa de Tolda a negar aquele que seria o golo que sentenciaria a partida.

Já em tempo de compensação balde de água fria (gelada, mesmo) para os benfiquistas. Talisca, na cobrança de um livre direto, estabelece o empate deixando um silêncio atípico no Estádio da Luz. Um empate que acabou por saber a derrota para os encarnados e a vitória para os turcos.

Destaques:

  • Salvio bem na primeira parte, sem gás na segunda – Quem vê os jogos dos extremo argentino facilmente se apercebe que Salvio vai perdendo gás ao longo dos 90 minutos. Na primeira metade, foi um dos melhores da partida com a sua velocidade a causar problemas aos turcos. No segundo tempo, e apesar de não se esconder do jogo, apareceu pouco esclarecido nomeadamente na tomada de decisão.
  • André Horta a ganhar ritmo, mas acima de tudo rotinas de jogo – O miúdo seguiu as pisadas de Gonçalo Guedes e de Renato Sanches no que diz respeito à idade com se estreou na Liga dos Campeões e esteve em bom plano. Tal como Salvio foi perdendo protagonismo no jogo mas sempre com vontade de cumprir marcações.
  • Quaresma é o dono da magia turca, Talisca a vitamina adicional – Olhando-se para o sistema dos turcos é em Quaresma que recaí a responsabilidade de criar os momentos de maior desequilibro para o adversário. No confronto direto com Grimaldo, o internacional português deu muito trabalho ao lateral espanhol mas nem sempre foi bem sucedido. O brasileiro acabou por ser o herói da partida ao marcar de forma exímia um livre direto, dando o empate já no tempo de compensação.

 

Factos que importam (segundo a playmakerstats):

  • 3 jogadores do Benfica fizeram a estreia nas provas da UEFA: Grimaldo, André Horta e Cervi;
  • Ederson fez a sua estreia esta época. O seu último jogo foi em maio, na final da Taça da Liga;
  • Depois de Gonçalo Guedes e Renato Saches, André Horta é o mais um jovem lançado a titular pelo SLB na Champions League com 19 anos ou menos nas duas últimas épocas;
  • Talisca marca na Champions pelo 3.º jogo consecutivo.
Texto de Francisco Amaral Santos
Anúncios