Partida recheada de golos a abrir o apetite para o resto do torneio

Texto de Jéssica Sá

Primeira parte 

A tarde de Domingo começou com o jogo que colocou frente a frente os que viriam a ser o quinto e sexto classificados do torneio. Estoril e Pro Patria chegaram a esta fase com 1 ponto e 0 pontos, respetivamente. O favoritismo era apontado à equipa canarinha.
Começou melhor o Estoril, não fazendo prever os dois golos de rompante que a equipa Italiana viria a marcar. Primeiro foi Tommaso Brambilla quem aproveitou um passe em profundidade, dominou bem a bola e conseguiu fintar o guarda-redes tranquilamente e apontar para o fundo da baliza.
Os estorilistas tremeram e cederam principalmente do meio campo para trás, e as oportunidades para a equipa do Pro Patria sucederam-se, primeiro através de um livre perigoso marcado pelo médio Lancine Coulibaly.
Depois foi a vez de Niccolo Bertin enviar uma bola ao poste que parece ter enervado o guarda-redes do Estoril que saiu mal e quase comprometeu a equipa. Com este caudal ofensivo o 2-0 acabou por acontecer através de uma recarga após um livre, por Thomas Lacalamita.
O segundo golo fez acordar os pupilos do Estoril, que marcaram o primeiro golo através da conversão de um penalty. Aliu Djalo ficou encarregue desta marcação mas falhou à primeira, tendo marcado o golo na recarga.
O jogo nesta fase estava mais partido e o Estoril conseguiu o 2-2 depois de um passe fantástico do extremo direito Martim Sequeiro e Djalo volta a marcar.
Mas o jogo voltou a mudar o seu rumo e em pouco tempo a equipa Italiana voltou a mudar a história do jogo, primeiro aproveitando um erro defensivo da equipa estorilista, Romeo faz o 3-2. O mesmo jogador viria a marcar o quarto golo num gesto técnico soberbo, enviando a bola ao ângulo, sem defesa para o guarda-redes Edgar Rodrigues.
Uma primeira parte intensa, cheia de golos.

Segunda parte
A segunda parte começou morna. Depois de uma primeira parte muito ativa, os jogadores mostraram-se mais fatigados.
Dos pés de David Romeo surgiu a primeira oportunidade para a equipa Italiana, um lance de grande categoria, salva pela defesa do guarda-redes estorilista.
O extremo Martim Cequeira, um dos jogadores mais ativos da turma do Estoril, respondeu com um remate de fora de área de defesa fácil. Seguiu-se um lance confuso dentro da área italiana, depois de um falhanço de Djalo, um lance duvidoso. Um penalty ficou por marcar a favor do Estoril.
Este lance parece ter acordado a equipa do Estoril que em pouco tempo marcou dois golos, primeiro um golo fantástico de Pedro Castela, que conseguiu enganar o opositor e rematou fulminantemente para o fundo da baliza. Excelente gesto técnico!
Depois foi a vez de Martim Cequeira (quem mais?) fazer mais um ótimo passe para a desmarcação de Djalo que conseguiu fugir ao guarda-redes e rematar para o empate. 4-4 foi o resultado final na segunda parte.
Com um jogo equilibrado, com bons momentos para ambas as equipas, os penaltys acabaram por decidir quem ocuparia a quinta e sexta posição do Torneio.
Foi necessário chegar à morte súbita para saber quem levaria a melhor, acabando por ser a turma que viajou diretamente da Itália a ser mais assertiva.

DESTAQUES:
Pro Patria:
Riccardo Bavo
Um jogador tecnicamente muito inteligente e muito combativo. Um jogador muito promissor, que valerá a pena seguir.
David Romeo
Bisou na partida, marcando um golo brilhante a acabar a segunda parte! Procurou sempre construir jogo, sendo um dos pupilos mais ativos da equipa Italiana.

Estoril- Djalo
Acabou por sair com um sentimento agri-doce do jogo. Marcou um hatt-trick, mantendo a esperança estorilista até ao fim. No entanto acabou por ser o mesmo jogador a falhar um penalty.
Martim Cequeira
Um jovem que promete! Apesar de não ter marcado, ao contrário do que aconteceu ontem, foi um jogador muito importante nos processos ofensivos da equipa Canarinha. Um jogador com muita técnica e que vai dar que falar.

Anúncios