Sporting 2 x 0 União Da Madeira: Golos de Teo e João Mário permitiram exibição de gestão

Onzes Iniciais

Sporting: Rui Patricio; Schelotto, Coates, Rúben Semedo, Zeegelar; William, João Mário, Adrien, Bruno César; Teo Gutierrez, Islam Slimani;

União: Gudiño; Carlos Manuel, Kusunga, Diego Gallo, Joãozinho; Tiago Ferreira, Soares, Breitner; Danilo Dias, Amílton, Farias;

Em Alvalade, o Sporting entrava em campo para assegurar hoje a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões  e subir novamente à liderança do campeonato, o União procurava afastar-se da linha de descida e assim meter mais pressão sobre a Académica que, minutos antes, tinha escorregado em Coimbra perante o Futebol Clube do Porto.

Um jogo que começou com um ritmo frenético, bola cá e bola lá, com Rui Patrício a ser chamado a intervir nos instantes iniciais depois de um remate bem colocado de Danilo Dias que parecia querer voltar a fazer o gosto ao pé frente à turma de Alvalade, depois de ter sido dele o tento que garantiu a vitória dos madeirenses frente ao Sporting em casa no mês de Dezembro. A resposta “leonina” foi imediata, cruzamento de Zeegelar da esquerda, a encontrar Teo sozinho na área, que nem precisou de saltar para alcançar a bola e cabeceou para o golo.

Danilo Dias era, em conjunto com Amílton, o homem que causava mais trabalho à defesa leonina. Amílton pelas suas incursões rápidas no flanco e Danilo pela sua experiência de Primeira Liga que procurava sempre a baliza de Rui Patrício tentando sempre aparecer no espaço entre o central e o lateral e a obrigar Rui Patrício a uma grande defesa e a segurar a vantagem. O Sporting conseguia controlar o jogo a meio-campo, trocando a bola e quando perdia o esférico pressionava alto para conseguir recuperar a bola causando alguns sobressaltos à defesa dos “unionistas”. Com justiça os  “leões” ampliaram a vantagem, com João Mário a concluir um cruzamento de Zeegelar numa jogada de insistência onde a bola sobrou para o lateral holandês e encontrou o internacional português que encostou com autoridade para mais um golo.

A partida começou a arrefecer com um União a ter dificuldade a construir jogo a partir de trás e com a equipa de Jorge Jesus aparentemente satisfeita com o resultado a ter mais posse de bola e a manter-se no meio-campo dos madeirenses, no entanto, sem criar situações de grande perigo. Teo poderia ter bisado mas foi incapaz de finalizar de forma eficaz em zona frontal.

Uma primeira parte com o Sporting mais eficaz a aproveitar as oportunidades de golo concedidas e pouco ficou para contar por parte do União para além do remate perigoso de Danilo Dias.
No regresso dos balneários, Rúben Semedo ia gelando Alvalade depois de quase inserir um cruzamento na sua própria baliza. Pouco depois, numa recuperação de bola, Teo podia ter feito o 3 x 0 só que estava lá Gudiño para impedir que o colombiano fizesse novamente o gosto ao pé. Jesus tentou mexer o jogo com as substituições. Meteu Ruíz no lugar de João Mário que também dispôs de uma oportunidade nos seus pés para alargar a vantagem dos da casa. Adrien depois fez tremer os postes da baliza madeirense, naquela que foi a ocasião mais perigosa da segunda parte. Numa iniciativa individual pelo flanco, Schelotto contorna o adversário levanta a cabeça e cruza para a área onde encontra mal que esteve mal na finalização.

Foi o Sporting que teve o comando das operações na segunda parte e com esse comando, diversas oportunidades de golo, mas a equipa preferiu controlar o jogo e gerir o esforço físico já com a visita ao Estádio do Dragão na cabeça. A luta pelo título continua ao rubro e os comandados de Jorge Jesus não estão dispostos a desarmar.

Destaques Sporting:

Ezequiel Schelotto: Uma contratação que suscitou dúvidas. Chegou a Portugal depois de seis meses de inactividade, com a época a meio e a falta de ritmo era preocupante. Conseguiu suplantar João Pereira nas escolhas de Jorge Jesus e revela uma enorme consistência nas exibições. Consegue fazer o flanco todo, necessitando poucas vezes do apoio do extremo nas actividades defensivas. Objectivo a jogar, rápido a sair e fecha bem a lateral direita. O Sporting ganhou um reforço de peso para esta recta final.

Sebástian Coates: Depois de um ingresso falhado no Liverpool e de ser incluído na pior equipa da Premier League pelo jornal britânico “The Guardian”, os adeptos do futebol nacional pensam que mal fez Coates em Inglaterra? Um lateral que têm imposição no jogo aéreo, sabe proteger a bola, consegue sair a jogar com a bola nos pés e tem uma qualidade técnica incomum para um central. Coates foi uma excelente aquisição por parte do Sporting e será de estranhar caso a cláusula da opção de compra não seja activada depois deste empréstimo no qual o uruguaio deixou marca.

Anúncios