Sporting 3 x 1 Marítimo: Leões não desarmam na luta pelo título

Momentos antes do apito inicial, pairava em Alvalade a esperança de um escorregão do eterno rival, Benfica, na cidade dos estudantes. O golo de Jímenez retirou ao leão a possibilidade de recuperar a liderança mas não a de continuar a lutar até ao último fôlego pelo título nacional.

Uma primeira parte algo adormecida pelo Sporting, que chegou ao intervalo com menos remates que os insulares que vinham com o objectivo de aumentar a sua distância para a linha de água. O primeiro remate surgiu através de um cabeceamento de Bryan Ruíz depois de cruzamento quase em cima da linha por Téo, o costa-riquenho nem teve de tirar os pés do chão mas o cabeceamento saiu ao lado ficando o sentimento de que o cabeceamento poderia ter sido abordado de uma forma mais eficaz. O Marítimo respondeu por duas vezes, primeiro Edgar Costa e depois Djoussé, ambos os remates saíram sobre a barra da baliza verde-e-branca.

Os verde-rubros começaram a tomar conta do jogo e a ter oportunidades sucessivas no último terço do meio-campo leonino. Ebér Bessa, Djoussé e João Diogo encontraram sempre pela frente Rui Patrício a barrar os caminhos para a sua baliza. Foi no período mais cinzento do jogo por parte da equipa de Jorge Jesus que surgiu o seu golo. Téo Gutierrez com um movimento para dentro, a puxar o remate de meia distância, com a bola a bater no pé de um jogador insular e a trair Salin.

O colombiano está em alta com cinco golos nos últimos três jogos.

O colombiano está em alta com cinco golos nos últimos três jogos.

O segundo tempo viu o Sporting a entrar controlador, a trocar a bola à procura de abrir espaços na defesa do Marítimo.  Tinham passado sete minutos quando William Carvalho, a aproveitar um mau alívio da defesa insular, contornou um jogador e rematou cruzado, com força, sem hipóteses para Salin, que pouco ou nada poderia fazer. A turma de Alvalade continuava a pressão e a encostar os madeirenses à sua área, tentando chegar ao terceiro golo, que daria uma maior segurança e conforto para a equipa gerir o esforço.  Aos 76′ Slimani fez o golo, rematando sozinho para o fundo das redes depois de um ressalto a remate de João Mário. Pouco depois o Marítimo respondeu e Ghazaryan, que tinha entrado no decorrer do segundo tempo,  a rematar isolado para o golo de honra dos madeirenses. Até ao fim da partida, a equipa do Funchal tentou por diversas vezes chegar ao 3-2 incomodando os homens de Jorge Jesus, mas sem grande sucesso.

Uma vitória importante para os leões que mantêm assim a aspiração de serem campeões e alcançam a Liga Dos Campeões. Falta agora saber se disputarão o play-off ou garantem o apuramento directo.

Anúncios