Sp. Braga 4-1 Fenerbahçe; Uma reviravolta “Gverreira” à conquista dessa (Liga) Europa

Onze inicial Sp. Braga: Mattheus; Baiano, André Pint, Boly e Goiano; Vukcevic, Mauro, Josué e Rafa; Hassan e Stoijilkovic;
Onze inicial Fenerbahçe: Demirel; Ozbayraklı, Kjær, Bruno Alves e Caner Erkin; Mehmet Topal e Souza; Nani, Diego e Alper Potuk; Van Persie.

Grande jogo de futebol no Estádio Axa. O Sporting Braga conseguiu um resultado histórico no encontro desta noite contra os turcos do Fenerbahçe. Com uma desvantagem de 1-0 na Turquia, os minhotos tinham de dar o melhor de si e fizeram um jogo à “Gverreiros”. Entraram com vontade de vencer e, com a ajuda das adversidades turcas durante a partida (três expulsões), o Sp. Braga reagiu e até marcou mais do que era pedido.

790

Van Persie bem tentou mas o holândes estava em noite desinspirada (Imagem: Lusa)

Paulo Fonseca sabia que tinha de vencer e por isso não recuou as linhas defensivas. Não pressionou a todo o campo e preferiu apostar nos rápidos contra-ataques para apanhar o Fenerbahçe em contrapé. Se na primeira parte foi complicado dar esta ideia de jogo, o segundo tempo foi “peixe na água” na filosofia do treinador do Sp. Braga. A palestra do treinador português ao intervalo foi provavelmente o grande momento do jogo. Outro momento que desmontou por completo o jogo foi o segundo golo do Sp. Braga, que resultou num golo de penalty de Josué. Com o resultado 1-1 (golos de Hassan e Potuk), os minhotos tinham naquela oportunidade um “vai ou racha”. O médio português, na marca dos onze metros não vacilou, começando ali a caminhada vencedora da equipa portuguesa. A entrada do irreverente Pedro Santos na partida deu o impulso final para a goleada que acabou com os golos de Stojilijovic e Rafa Silva.

790 (1)

Vitória selada com o 4-1 de Rafa Silva. O Sp. Braga estava com os dois pés nos quartos (Imagem: Lusa)

Verdade seja dita, o senhor do apito também ajudou os bracarenses. O Fenerbahçe terminou com apenas oito elementos, sendo que o treinador Vítor Pereira também acabou expulso logo na primeira parte.

Apesar deste último parênteses, o Sp. Braga fez um belíssimo jogo (com um resultado talvez um pouco exagerado) e que lhe valeu a passagem aos quartos-de-final da Liga Europa. Veremos que equipa sai aos “Gverreiros” na rifa.

Jogador mais: Rafa Silva – um jogador a mais, com todo o respeito ao Sp. Braga e aos seus jogadores. O extremo, que hoje esteve até mais envolvido no jogo interior, esteve em invidência. Com bola, era o primeiro jogador a sair dos contra-ataques bracarenses. Fugia como uma seta e assistia os colegas com perícia e qualidade. Sem bola, funcionou muitas vezes como primeiro defesa dos minhotos, incomodando os jogadores do Fenerbahçe na primeira fase de construção. Tem sido um dos destaques da Liga Europa e hoje não foi diferente.

Jogador menos: Bruno Alves – não é com gosto que colocamos o internacional português neste patamar. Sem ser espetacular, o central estava a cumprir as funções que lhe eram permitidas. Com o segundo golo do Sp. Braga (mais perto e com mais força para vencer a eliminatória) e um Fenerbahçe reduzido a dez elementos, os turcos necessitavam de solideriedade e concentração em especial na primeira linha defensiva. Resultado: Bruno Alves manchou a pintura no 3-1 e 4-1. Não é o único mas também é culpado pelo desaire repentino do Fenerbahçe.

 

 

Anúncios