Vitória de Guimarães 0 x 0 Sporting: Os cavaleiros defenderam o castelo de leões famintos

Duas equipas a jogar taco-a-taco, sem ceder grandes espaços no meio-campo e à procura da vitória foi o que se viu hoje em Guimarães. A cidade-berço, local onde os grandes costumam tropeçar com frequência, foi a anfitriã de mais um grande, desta vez o Sporting depois de já ter recebido e de ter vencido no Dom Afonso Henriques, o Futebol Clube do Porto.

Começou melhor o Vitória, a pressionar alto e a conseguir nos primeiros dez minutos, encostar os leões à sua área. Licá foi o primeiro a testar Rui Patrício depois de uma assistência por parte de Ricardo Valente.  O jogo começou a pender mais a favor dos leões quando já se sinalizava o primeiro quarto de hora. O Sporting só não criava mais perigo por encontrar pela frente uma equipa bem construída por Sérgio Conceição para impedir eventuais surpresas do letal ataque leonino e em particular, do ponta-de-lança argelino Islam Slimani que apesar da muita luta que deu hoje, abordou os lances com menor agressividade já com o derby de Alvalade em mente. Em menos de um minuto, o Sporting dispôs de duas oportunidades flagrantes de golo: primeiro por Coates, após assistência de Ruiz e depois por Slimani, sozinho na cara do guarda-redes. Ambas as ocasiões foram negadas por Miguel Silva, que teve uma noite soberba a defender as redes vimaranenses. Saré por pouco não marcou quase a terminar a primeira parte, o médio defensivo falhou a emenda mesmo na cara do guardião leonino.

Uma primeira parte intensa, bem disputada, com agressividade de ambos os lados e ânimos sempre à flor da pele em ambos os bancos. O árbitro Tiago Martins teve vida difícil esta noite exibindo muitos cartões aos jogadores de ambas as equipas.

Na segunda parte, os leões iam ganhando muitos lances no lado direito do ataque, muitos deles por intervenção do italo-argentino Ezequiel Schelotto, faltou acerto na altura do cruzamento ao jogador que fez, de resto, uma boa exibição, não comprometendo na defesa e com uma activa participação no ataque. Foi de Schelotto que surgiu o cruzamento para a melhor oportunidade do jogo mas, Bryan Ruiz, com a baliza escancarada, cabeceou mal a bola e esta saiu por cima da trave da baliza do Vitória. As substituições efectuadas por ambos os treinadores não mexeram muito com o jogo mas a entrada de Francis ia mexendo com o encontro, pois mal entrou o jogador tocou na bola e efectuou um remate que saiu muito próximo da trave da baliza de Patrício. Nesta altura o Vitória já jogava com menos um depois da expulsão de Josué. William Carvalho teve duas boas oportunidades nos pés para dar a vantagem à sua equipa mas a bola acabou por passar sempre ao lado da baliza defendida por Miguel Silva.

O jogo terminou com muita intensidade de ambas as partes mas o nulo persistiu no final dos 90′ minutos. O Sporting recebe este sábado o Benfica com apenas um ponto de vantagem naquele que promete ser mais um derby escaldante.

Destaques:

William Carvalho: Do lado do Sporting, o médio defensivo voltou aos destaques e parece ter-se reencontrado com as boas exibições. Assertivo no passe, mandão no meio-campo, capaz de sair a jogar e em segurança e eficaz no corte, o médio voltou a mostrar o seu valor na cidade-berço.

Miguel Silva: O guarda-redes do Vitória Sport Clube merece figurar nos destaques. Exibição mais que segura e a revelar uma maturidade extraordinária na abordagem aos lances. Em menos de um minuto, fez duas defesas que foram importantíssimas na defesa do empate por parte dos comandados de Sérgio Conceição.

O jovem guarda-redes foi o homem do jogo.

O jovem guarda-redes foi o homem do jogo.

Anúncios