FC Porto 1-2 Arouca: derrota surpreendente em casa afasta ainda mais dragões na luta pelo campeonato.

O FC Porto recebeu hoje, no estádio do dragão, a equipa do Arouca. A equipa visitante deslocou-se até à cidade invicta com um registo de 7 jogos sem vencer, sendo que em jogos fora não recolhia uma vitória à precisamente 5 jogos.
Para este jogo José Peseiro não contou com Maxi Pereira e Marcano, afastados por castigo. Do lado do Arouca, Vidigal não contou com Ivo Rodrigues, também ele afastado por castigo (ainda que este não poderia atuar de qualquer forma, visto ser um jogador cedido pelo Porto). José Angel teve a sua primeira oportunidade de se estrear na liga portuguesa do corrente ano. Outras curiosidades seriam o facto de Herrera realizar o seu jogo 100 com a camisola azul-e-branca enquanto que Aboubakar realizou o seu jogo 50 como dragão.

O jogo não começou nada bem para a equipa da casa. Aos 10′ (!) segundos de jogo a equipa do Arouca adianta-se no marcador. Cruzamento de Zequinha no lado direito e Walter não desperdiçou, batendo assim Casillas pela primeira vez. Surpresa no estádio do dragão!
Os azuis-e-brancos tentaram reagir de imediato e minutos depois, conseguiram o empate. Minuto 14′, canto no lado esquerdo e Aboubakar salta mais forte do que todos enviando a bola para as redes da baliza de Bracali.
Assistia-se a um jogo bastante equilibrado. Os dragões jogavam mais no meio-campo ofensivo, porém, sem criar grandes oportunidade de perigo. O Arouca conseguia criar oportunidades quando apostava em jogadas de contra-ataque.

O jogo ia para o intervalo com o empate a uma bola. A equipa do Arouca mostrava que vinha para encarar o jogo olhos-nos-olhos com o seu adversário.

arouca

A equipa do Arouca marcou hoje, no estádio do dragão, o golo mais rápido do campeonato (10 segundos)

A segunda parte chegou, mas pouco mudou no jogo. O FC Porto instalou-se de novo no último terço do terreno tentando perfurar a defesa do Arouca, mas sem grande perigo.
A única jogada de maior perigo aconteceu aos 63′ minutos de jogo, quando Brahimi enviou a bola para o fundo das redes, mas o golo foi (mal) anulado, por alegado fora-de-jogo.
O golo acabaria por chegar, mas para a equipa visitante. Na primeira vez que o Arouca rematou à baliza no segundo tempo, marcou (69′). Erro infantil de Maicon, perdendo a bola quando se tratava do último homem da defesa portista, Walter recupera a redonda e, isolado frente a Casillas, marca o segundo golo da equipa e também o segundo na sua conta pessoal.
Logo de seguida, Maicon pede substituição saindo do campo com algumas queixas e debaixo de uma maré de assobios vindos da bancada.
O FC Porto não conseguiu reagir da melhor forma o golo sofrido. O Arouca começou a fazer “a sua parte”, optando por perder tempo sempre que podia.
O jogo acabaria por chegar ao fim. A equipa da invicta perdeu pela primeira vez em casa e afastou-se ainda mais dos primeiros classificados, tornando assim a luta pelo primeiro lugar do campeonato ainda mais complicada.

DESTAQUES:

Walter: o avançado do Arouca marcou os dois golos da equipa, que deu a vitória. Bom jogo do avançado, que não desperdiçou as duas únicas chances que teve.

Bracali: 
o guarda-redes da equipa visitante realizou um bom jogo, conseguindo estar à altura dos acontecimentos sempre que foi chamado para tal.

Vidigal: o treinador do Arouca viajou até ao Porto e conseguiu dois feitos numa só noite: ser a primeira equipa a marcar dois golos aos dragões na sua casa e ainda ser também a primeira equipa a vencer este ano no estádio do dragão.

Maicon: o central brasileiro foi o principal responsável pelo segundo golo sofrido da equipa com um erro super infantil. Valeu-lhe uma saída de campo debaixo de muitos assobios.

Anúncios