Portimonense de 1ª, Sporting de 2ª

Onze titular:

Portimonense:  Carlos; Lucas, Pessoa, Fidelis e Ewerton; Ryuki, Fabrício, Lumor; Pires, Marcel e Jadson.

Sporting: Marcelo Boeck, Schelotto, Paulo Oliveira, Ewerton e Zeegelaar; William e Aquilani; Carlos Mané, Bruno César, Montero e Teo Gutiérrez.

 

Do onze inicial contra o Tondela, William Carvalho e Bruno César foram os únicos resistentes. Rui Patrício, por castigo, foi substituído por Marcelo Boeck, enquanto que jogadores como João Pereira, Jefferson, Adrien ou Slimani deram lugar aos menos utilizados Schelotto, Zeegelaar (estreia de leão ao peito), Aquilani e Montero. Teo, depois de prolongada (e muito falada!) ausência volta a jogar, e logo como titular.

O Portimonense começou logo por mostrar que estava pronto a disputar o jogo. Uma equipa organizada defensivamente e também com uma saída para o ataque com soluções. Tudo menos uma equipa com medo do Sporting. Ao primeiro minuto, deixou em sentido a defesa verde e branca, quando no seguimento de um canto, Boeck hesitou e quase que via a bola entrar na sua baliza.

Bruno César, ao minuto 4 rematou rasteiro junto ao poste esquerdo, depois de uma boa combinação com Teo.

Daí em diante, todo o jogo esteve repartido, sem grandes lances de efetivo perigo, mas com construção de ataques perto de ambas as balizas. A defesa do Portimonense mostrava-se mais coesa que a leonina, o que fazia toda a diferença. Fidelis e Ewerton, para o lado dos algarvios, estavam a ser os grandes dinamizadores de ataque, enquanto que o central Jadson ia cortando as jogadas de perigo do Sporting. Para o lado dos leões, Mané e Montero estavam a ser os elementos em melhor plano.

Aos 35’ aconteceu o momento da primeira parte. Corte da defesa do Portimense, Fidelis recebe e contemporiza, passando para a ala direita. Ricardo Pessoa vê o adiantamento de Ewerto (o defesa do Sporting) e assiste o outro Ewerton, que à entrada da área remata rasteiro, para o golo.

 

Equipa portimonense festeja golo

Festejos do primeiro golo do Portimonense. Fonte: ZeroZero

Intervalo: Portimonense 1 – Sporting 0

Jorge Jesus não esperou para mexer na equipa, mané saiu para dar lugar a Matheus, que se mostrou irrequieto e trouxe qualidade à equipa verde e branca.

O caudal mais ofensivo leonino dos primeiros minutos da segunda parte originou mais erros da parte defensiva portimonense. Primeiro, um quase auto golo ao minuto 54’ depois de o guarda-redes do Portimonense socar a bola e o mesmo aconteceu aos 58’, que Carlos salva em cima da linha.

Aos 60’ Montero remata de bicicleta e a bola levava a direção da baliza, mas Aquilani ao tocar a bola em posição irregular invalidou o golo do colombiano.

Esta fase era dominada pelos leões, ao minuto 63’ nova oportunidade, desta vez para o chuta-chuta, que rematou rasteiro, a bola ainda embateu num jogador portimonense e raspou o poste direito. Muito perigo para a baliza ao comando de Carlos.

Mas Bruno César acabou mesmo por sair, para dar lugar a João Mário ao minuto 66. Era preciso refrescar a equipa.

Apesar do Sporting se encontrar melhor nesta fase, foi o Portimonense que esteve perto do 2-0, quando ao minuto 71 Fabrício remata rasteiro à direita, mas Boeck mostrou-se atento.

Aos 80 minutos um momento decisivo para o Sporting, penalty desperdiçado por William, depois de uma mão na bola de Lumor. Quem foi mais eficaz, foi Ewerton, que bisa na partida (91’). Boeck numa tentativa de cortar a bola, rasteirou o avançado portimonense e árbitro não teve dúvidas e assinalou nova grande penalidade.

Estava tudo decidido. Portimonense ganha 2-0, explosão de alegria no estádio municipal de Portimão.

 

DESTAQUES:

Portimonense:

Ewerton- Bisa , tornando-se o grande herói da partida. Mostrou-se sempre a procura do golo.

Fabrício- Foi o jogador que mais remates fez a baliza leonina, além dos dois golos.

Defesa do Portimonense: Toda a defesa Portimonense esteve coesa, conseguiu bloquear muitas jogadas do Sporting.

Sporting:

Paulo Oliveira- Uma das piores exibições do central, muitos passes falhados.

William- Outra desilusão. Além do penalty falhado, esteve sempre à margem do jogo.

Bruno César e Matheus- Estes jogadores foram os mais inconformados do lado sportinguista, tentando criar situações de perigo. Chuta-chuta rematou algumas vezes à baliza do Portimonense, levando algum perigo.

Anúncios