Skënderbeu 3 – 0 Sporting; Humildes albaneses dificultam vida dos leões

A vida do Sporting tornou-se mais difícil depois do jogo de ontem para a 4ª jornada da Liga Europa. E não foi só dentro de campo que as coisas se complicaram. Mas tudo começou aí: só para se ter uma ideia do quão surpreendente foi o resultado, esta foi a maior vitória europeia de sempre do Skënderbeu.

600

O árbitro ainda só tinha apitado há 15 minutos. Lilaj aproveitou a recarga do remate de Esquerdinha e bateu Rui Patrício. A equipa “B” que o Sporting apresentara nem imaginava o quão sofridos iriam ser aqueles 90 minutos. E só aos 18′ começaram a perceber… Quando Patrício fez pénalti e foi expulso. Lilaj bisou e foi aí que começou o descalabro. “O Sporting entrou sereno. Tinha bola, não tinha chances de golo, mas também não havia pressa: eles haviam de surgir. E surgiram… para o lado dos albaneses”. Foi tal e qual como Tiago Palma, do Observador, descreveu.

Ninguém esperava uma vitória dos albaneses, nem em casa. Muito menos com estes números. E os jogadores começaram a jogar o pior que sabiam. Difícil levar dois golos e tentar fazer a reviravolta. Mas contra o Skënderbeu, ainda que com 10 jogadores, podia-se pensar que sim, era possível.

Problema? Os jogadores do Sporting continuaram a não responder ao desafio. Nada. A apatia generalizou-se e estava difícil de acertar uma jogada com pés… e cabeça. E o Tiago continuava a (d)escrever o que se passava. “É simples. O Sporting não fez um só remate digno dessa descrição. E a defender, sem que tivessem pela frente propriamente velocistas olímpicos, os seus defesas foram sempre apanhados em contra-pé”.

futeboljogosenioresskenderbeumatheus

Parecia um pesadelo, e continua a parecer. Para muitos adeptos sportinguistas, no café, em casa, ou no estádio, esta exibição foi das piores de sempre. Relembrar grandes “cabazes” como o de Munique não era, nem é, um exercício que pudesse explicar este resultado. É que o Skënderbeu, apesar de pentacampeão da Albânia, está a milhas de ser um colosso europeu.

Como se não bastasse, e depois de Marcelo ter rendido Patrício, Nimaga aproveitou uma falha de Boeck, que aliviou para zona proibida. “Pimba” dizia um locutor, mais um para o “saco”. Deve ter pesado nos ombros de Jorge Jesus. Foi à flash interview dizer, basicamente, que não havia desculpa. Tinha sido mau demais.

 

PS: Continuando o raciocínio do “não foi só dentro de campo que as coisas se complicaram”: quem sabe se este jogo não será alvo de suspeitas por parte da Federbet. Quem sabe… Os jogadores do Sporting, se tal acontecer, até se sentirão envergonhados por pensarem que foi combinado. Lá que parecia…

Anúncios