Em dia de eleições, Lopetegui votou em Rúben Neves para capitão e Brahimi ganhou o voto de MVP

Depois da excelente vitória diante o Chelsea na passada 3ª feira, esperava-se uma motivação extra por parte do FC Porto no jogo de hoje frente ao Belenenses. O treinador dos azuis e brancos não fez grandes alterações em relação ao último onze, retirando apenas Martins Indi voltando assim Layún à ala esquerda e ainda Danilo Pereira dando lugar a Corona.
Após o apito inicial, os dragões tomaram conta do jogo sem grandes problemas mas encontraram uma equipa do Belenenses muito bem organizada. Com o passar do tempo o Porto foi conseguindo entrar com maior facilidade na área do adversário, até que ao minuto 31′ Brahimi enviou um excelente remate à barra da baliza de Ventura, quando todo o estádio já gritava golo. A equipa de Belém quis responder à letra e passados cinco minutos, Kuca – após cruzamento de trivela de Sturgeon – envia um remate ao poste da baliza de Casillas, onde valeu um excelente desvio de Layún a evitar males maiores.
Até ao apito que levou as equipas para o intervalo não existiram mais ocasiões que merecessem destaque, dando apenas importância à lesão que Maicon sofreu (sózinho) que ocorreu 10 segundos antes do intervalo. O brasileiro acabou agarrado à coxa após uma disputa de lance em corrida com Luís Leal. O central portista acabou por não regressar para a segunda parte.

No regresso ao campo é de realçar a importância que Lopetegui atribuíu a Rúben Neves, visto que o talentoso jovem de 18 anos veio do balneário com a braçadeira de capitão
(Maicon foi subsituído por Danilo Pereira).

O FC Porto entrou para o segundo tempo bem mais decidido em marcar, mas quem o mostrou mais foi Brahimi. O argelino entrou como uma “barata tonta” no jogo, até que aos 54′ minutos de jogo – após uma excelente jogada individual – assiste Corona, onde o mexicano conseguiu inaugurar o marcador do jogo.
Ainda se festejava o primeiro golo no estádio e a turma de Lopetegui já marcava o segundo. Excelente entendimento entre André André e Maxi Pereira, onde o lateral cruzou da melhor maneira para a finalização de cabeça (não muito habitual) por parte de Brahimi.
Quando o jogo estava calmo e já ninguém esperava mais movimento no campo, aparece um passe perfeito de Rúben Neves para Tello (que tinha entrado ao minuto 77′ por Corona) onde este faz uma excelente arrancada e cruza para Osvaldo que finaliza com classe de pé esquerdo e se estreia desta forma a marcar no campeonato português.
Já perto do final do jogo, os dragões conseguiram aumentar ainda mais a vantagem. Canto de Layún no lado esquerdo e Marcano concluí com um cabeceamento certeiro.
Final da partida. O FC Porto vence por quatro bolas a zero e continua na liderança do campeonato. Em dia de eleições, Lopetegui votou em Rúben Neves para capitão e Brahimi ganhou o voto de MVP.

O argelino Brahimi deu a volta ao jogo, assistindo o primeiro golo para Corona e marcou o segundo golo dos Dragões

O argelino Brahimi deu a volta ao jogo, assistindo o primeiro golo para Corona e marcou o segundo golo dos Dragões

DESTAQUES:

Brahimi: o talentoso jogador foi na opinião da equipa Box-to-Box o MVP desta partida. Conseguiu romper a corrente de Belém, assistindo Corona no primeiro golo da partida depois de um excelente jogada individual e ainda marcando o segundo golo. Parece que o Brahimi da primeira parte do campeonato passado está a voltar.
Rúben Neves: com apenas 18 anos o “miúdo” da invicta estreou-se hoje como capitão da equipa portista, depois de Maicon ter saído ao intervalo lesionado. Um grande passo na carreira do médio português e um enorme voto de confiança por parte de Lopetegui, mostrando que conta claramente com ele na equipa.
Osvaldo: o avançado marcou, finalmente, o primeiro golo pela equipa do FC Porto. Agora temos de esperar para ver se isso o vai motivar e levar a fazer melhores exibições.

Anúncios