Benfica 3 – 0 Paços de Ferreira: Jonas (x2) e Guedes resolvem jogo complicado

O Benfica venceu (2×0) o Paços de Ferreira, reduzindo para dois pontos a distância para os dragões e ficando à espera do que os leões fazem no estádio do Bessa. Jonas voltou a bisar e já é o melhor marcador do campeonato (6 golos). Gonçalo Guedes também fez o gosto ao pé e esteve nas jogadas dos outros dois tentos.

ONZE BENFICA: Júlio César; N. Semedo; Luisão; Jardel; Eliseu; A. Almeida; Samaris; G. Guedes; Gaitán; Jonas; Mitroglou.

ONZE PAÇOS FERREIRA: Marafona; João Góis, Miguel Vieira, Baixinho; Hélder Lopes; Romeu, Christian; Andrezinho; Roniel, Diogo Jota; João Silva.

A primeira parte foi bem disputada, com o Benfica, como se esperava, a controlar mais o jogo. Nos primeiros 15 minutos, criou duas boas ocasiões de golo por Gonçalo Guedes (3′) e Gaitán (15′) – ambas as jogadas criadas graças a tabelas com Jonas. A partir dos 20 minutos os pacenses subiram as linhas, começaram a pressionar no meio-campo dos encarnados e equilibraram a partida, tendo uma oportunidade de golo e um golo (bem) anulado – por Roniel e num cabeceamento de Miguel Oliveira. Aos 34 minutos apareceu a magia de Jonas. Depois de um passe de Guedes, o brasileiro remata, em jeito, colocando a bola na gaveta, sem qualquer hipótese para Marafona. Até ao intervalo há a registar uma grande arrancada de Diogo Jota (35′) pela esquerda do ataque, que só não deu em golo porque o atacante disparou por cima da baliza de Júlio César.

INTERVALO: BENFICA 1 – 0 PAÇOS DE FERREIRA

A segunda parte começou de forma morna e sem grandes oportunidades de golo.  Os castores entraram com vontade de procurar o empate, mas foram as águias que criaram mais perigo. Mitroglou surgiu isolado, depois de um grande passe de Jonas, mas Marafona conseguiu parar o remate do grego (59’). Este lance voltou a acordar os bicampeões que chegaram ao 2-0 por Gonçalo Guedes (66’). Gaitán recebe na esquerda, dribla sobre o defesa e cruza para a área onde Gonçalo Guedes domina e remata para a baliza – a bola ainda bate num defesa adversário. O 3-0 surgiu, mais uma vez, por Jonas (73’). Cruzamento de Gaitan, com Guedes a receber e com o guarda-redes em cima faz o passe atrasado onde Jonas, na pequena área, finaliza sem problemas. Até ao final da partida registam-se duas oportunidades de golo para cada lado – primeiro com um remate forte de Hélder Lopes (83’) e mais tarde com um cabeceamento ao poste de Luisão (86’).

SUBSTITUIÇÕES BENFICA: Raúl Jimenez por Mitroglou (62’); Carcela por Guedes (78’); Talisca por Samaris (80’)

SUBSTITUIÇÕES PAÇOS: Edson Farias por Roniel (62’); Fábio Martins por Christian (69’); Bruno Moreira por João Silva (75’)

DESTAQUES BENFICA:

André Almeida: O médio português fez, novamente, dupla com Samaris no meio-campo e esteve em bom plano, principalmente no primeiro tempo. Além de dar consistência defensiva à equipa, A. Almeida ajudou sempre a equipa no ataque e teve bons pormenores técnicos. Começa a ganhar o seu lugar no onze.

Gonçalo Guedes: O avançado português voltou a fazer um jogo esforçado em termos defensivos, mas conseguiu fazer a diferença também no ataque. Fez o segundo golo e esteve nos outros dois. Foi substituído por Carcela para uma merecida ovação.

12030343_10156079460490716_7681775132853735473_o

Gaitán e Jonas: A dupla do costume esteve, mais uma vez, em destaque e fez toda a diferença. O brasileiro fez dois golos e só não fez mais por culpa do guarda-redes adversário. O argentino esteve desconcertante ao seu estilo e esteve em todas as jogadas perigosas dos encarnados.

DESTAQUES PAÇOS DE FERREIRA:

Diogo Jota e Roniel: Um na esquerda e o outro na direita foram os jogadores pacenses que mais problemas causaram aos defesas do Benfica e que criaram mais perigo na baliza de Júlio César. Todos os ataques dos castores passavam pelos seus pés.

Anúncios