ESPECIAL CLÁSSICO FC PORTO VS SL BENFICA – Uma visita ao passado recente

Amanhã pelas 19h15 o ambiente vai aquecer! O FC Porto recebe o SL Benfica na quinta jornada da primeira liga.
Um “clássico” é sempre um jogo muito especial e este não será excepção.
Para trás, na história do futebol português, ficam grandes jogos na memória de todos os amantes do desporto rei. É por isso mesmo que o Box-to-Box recorda, aqui, três dos confrontos mais emocionantes entre dragões e águias no Estádio do Dragão.

A chapa 5 dos dragões

Época 2010/2011 (FCP 5 – 0 SLB)

O FC Porto venceu o SL Benfica por uns estrondosos 5-0. Num jogo em que tudo correu mal para os benfiquistas, os pupilos de André Villas Boas deram uma lição de bom futebol a Jorge Jesus.
Na primeira meia hora, os portistas já se encontravam em vantagem com três golos de diferença. Varela inaugurou o marcador, Falcão bisou e Hulk não quis ficar atrás.
Outra incidência do jogo foi a expulsão de Luisão.
Esta foi a maior vitória do FC Porto sobre o rival Benfica no Dragão.

O golo de Kelvin que entrou na história

Época 2012/2013 (FCP 2 – 1 SLB)

A 11 de maio de 2013, Jorge Jesus ajoelhou-se no Estádio do Dragão. A imagem foi de tal maneira intensa que, por vezes, é mais fácil recordar tal atitude de JJ do que o golo de Kelvin.
A verdade é que o brasileiro foi o joker de Vítor Pereira. Lançou-o quando o jogo estava empatado e foi mesmo ele quem resolveu o jogo (e grande parte o título nacional).
Antes do jogo, a equipa da Luz estava na frente do campeonato, mas o golo de Kelvin mudou a história da temporada. E também a de Roderick (ainda se lembra dele?)

Uma Limonada para quebrar a maldição

Época 2014/2015 (FCP 0 – 2 SLB)

Numa altura em que eram poucos os benfiquistas que acreditavam que era possível – na era JJ – ir ganhar ao Dragão, eis que surge um super Lima para mudar a história.
Este resultado acabou por se revelar fundamental na conquista do bicampeonato benfiquista.

Amanhã a história continuará. Resta saber quem sairá vencedor. Uma coisa é certa: tanto Julen Lopetegui como Rui precisam desta ‘vitória’. Mas no futebol não há dois vencedores…

Anúncios