Benfica 4-0 Estoril; DESTAQUES

Destaques Benfica:

 

Júlio César – Os seus companheiros bem lhe podem agradecer o triunfo. Absolutamente fundamental na conquista dos 3 pontos, com várias intervenções de alto nível. Sempre muito concentrado e rápido a responder, o internacional brasileiro começa a época em grande forma.

 

Nélson Semedo – Que estreia. Não podia pedir melhor no seu primeiro jogo na Primeira Liga, em pleno Estádio da Luz. Já havia sido titular ante o Sporting, na Supertaça, e Rui Vitória manteve a aposta no jogador. O jogador correspondeu com várias incursões pelo flanco direito e um golo. Impulsionador e prometedor.

 

Nico Gaitán – A forma é temporária mas a classe é permanente. Esta máxima, muito utilizada no futebol, aplica-se na perfeição ao virtuoso argentino. Foi o grande dinamizador da equipa e acaba o jogo com duas assistências. Espalhou classe e magia pelo relvado. Terá sido a despedida?

 

Kostas Mitroglou – Não fez uma grande exibição, longe disso. Falhou duas boas oportunidades, mas à terceira não perdoou. O seu golo foi fulcral para o resultado final e por isso merece esta nota de destaque. A vida de um avançado é feita de golos e este poderá ser muito importante para a adaptação do grego ao seu novo clube.

 

Jonas – Com a saída de Lima para o Dubai, Jonas foi empurrado para uma posição no ataque em que se notava que se sentia desenquadrado, sem nunca conseguir dar à equipa todo o seu futebol. Hoje, a história foi outra. Com Mitroglou à sua frente, o internacional brasileiro soltou-se e já deu alguns lampejos da sua tão reconhecida qualidade. Acaba o jogo com dois golos marcados rumo ao prémio de melhor marcador.

 

Victor Andrade – A estreia do jovem foi bastante positiva. Arrancou muitas faltas, deu energia, fulgor à equipa e teve na assistência para Jonas o ponto alto da sua exibição. Revelou-se uma boa aposta e deixou os adeptos com vontade de ver mais do brasileiro. Rui Vitória pode ter ganho mais um elemento para complicar as suas escolhas.

 

ngADF53FE1-24BF-4D44-B107-F143DDD05271

Nélson Semedo foi muito congratulado pelos colegas. Foto: Record

Destaques Estoril:

 

Yohan Tavares – Numa altura em que se fala muito da sua saída, o luso-francês provou o porquê de Marco Silva querer contar com ele no Olympiakos. Muito forte na marcação, a jogar em antecipação e na leitura do jogo, não foi por culpa dele que a sua equipa perdeu. Não merecia tão grotesco resultado.

 

Afonso Taira – Boa surpresa do jovem formado no Sporting CP, de 23 anos. Muito concentrado e com boa postura. Demonstrou bons pormenores e revelou-se uma boa alternativa a Diogo Amado.

 

Gerso – Muito irrequieto, foi sempre difícil de travar. Nem sempre definiu bem as jogadas, mas foi dele que surgiram algumas das melhores situações de perigo da sua equipa. Regressado de um empréstimo ao Moreirense, parece ter vindo para ficar.

ng15BCC620-2BC2-4977-BA1C-EC4B37E4D929

Afonso Taira foi dos melhores da sua equipa. Foto: Record

Anúncios