Guarda-redes da Primeira Liga Portuguesa: o que esperar?

Nesta crónica falar-se-á da qualidade intriseca aos guarda-redes, e colocando-os nos seus contextos. A expectativa que geramos perante um jogador dependem do que podem oferecer a nível individual como coletivo. Não se pode exigir que jogue à “grande” um jogador que está enquadrado num contexto de equipa com objectivos mais modestos. Neste defeso surgiram movimentações curiosas em que clubes tomaram a decisão de se reforçar com antigas “glórias” e outros apostando em guarda-redes que brilharam internamente na época passada, como iremos enunciar de seguida.

julio cesar benfica digital

 

Começando pelo campeão Benfica, não há muito a dizer sobre o seu guarda-redes. Está perfeito para as exigências e no ano passado provou que não está tão acabado como muitos previam. Experiente e comunicativo, tem no posicionamento o seu ponto mais forte e que lhe garante acções eficazes ao longo do jogo. Em provas de regularidade Júlio César  já mostrou que continua a ser dos melhores e maiores activos em Portugal. Ederson irá aprender na sombra com o seu compatriota, e esperará oportunidade nas taças, tal como Paulo Lopes que é uma garantia de estabilidade no balneário.

 

No Porto surge talvez das melhores duplas na baliza na Europa. Helton e Casillas possuem uma experiência e um palmarés ao nível dos melhores, e temos de estar orgulhosos por ambos estarem no nosso campeonato. Se no ano passado os dragões foram a melhor defesa da liga com Fabiano, o que podemos esperar com o galardoado Iker na baliza? O que o racional pedia é que existisse rotatividade em ambos na liga, mas não deverá ser esse o caminho. Casillas deverá assumir a baliza, e Helton ser uma voz de moral dentro do balneário.

11403276_10153491420654485_4445848991037459608_n

No Sporting não há muito a acrescentar. A contratação de Azbe Jug não muda o que está bem e estável. Rui Patricio deixou de ser o capitão por exigência do seu treinador, mas é das vozes mais sonantes e experientes do Sporting. É uma época diferente também para si. Surgiu como o salvador que fazia milagres numa defesa inconstante e instável numa fase onde estava em crescimento ainda e agora, mais maduro, assume-se como a referência do agora, e finalmente, candidato ao título. Será curioso de ver como se irá comportar numa equipa que defende alto e que irá tocar certamente menos vezes na bola com defesas (e mais com os pés). Veremos se o sentido técnico e táctico estão na sua plenitude. Marcelo será o seu eterno apoiante no banco.

Das equipas europeias, SC Braga, Vitória SC e Belenenses não muda nada. Matheus, Douglas e Ventura surgem como os titulares habituais e com qualidade reconhecida. Salvo alguma lesão ou castigo, serão os titulares com os seus suplentes a olharem a oportunidade nas taças. E os seus suplentes, Kritciuk, Assis e Ricardo Ribeiro (reforço vindo do Olhenense) possuem valências e oferecem garantias, todos com provas dadas a nivel nacional. Especial atenção para a afirmação no meio dos melhores de Matheus e também de Ventura, a provar que o que aspiravam de si está a ser cumprido na integra e na actualidade é dos mais completos em Portugal.

No Nacional tudo igual como dantes. Gottardi a titular e Rui Silva a oferecer alguma resistência para ser titular. No Paços de Ferreira muda o titular, em que na época passada não existia um a tempo inteiro. Se Defendi começou a brilhar, a certo momento António Filipe assumiu a baliza e agora chega Marafona que foi dos melhores na época transata ao serviço do Moreirense. António saiu para o Chaves e Marafona surge como o titular para a nova época. Passo a passo, o português está a subir de forma sustentada na carreira!

No Marítimo surge o maior dilema em Portugal. Colocar o habitual Salin que oferece garantias ou Wellington que mostra qualidade ou ainda o vice-campeão europeu, e melhor guarda-redes no Europeu sub-21 José Sá? Aparentemente nada irá mudar mesmo com o contexto a alterar-se. Mas só aparentemente, é esperar para ver. É daqueles casos que é dificil prever algo.

No Rio Ave, Moreirense, Arouca e Vitória FC surgem mudanças significativas com um elo em comum – guarda-redes experientes e com provas dadas em Portugal. Respectivamente entram Ricardo Nunes, Nilson, Bracalli e Diego. Veterania e qualidade. Perderam os seus titulares mas na baliza continuam com grandes opções e entre todos, apenas Cassio no Rio Ave e Raeder (por enquanto) no Vitória FC é que oferecem alta concorrência aos previsiveis titulares. Terão todos na baliza, um dos elementos chave para os objectivos a que se propõem.

10635732_852815774742184_7013146067270138735_n

O Estoril e Boavista apostam na manutenção dos seus valores (até ver), com Kieszek e Mika a surgiram nos titulares, com Vagner (se não sair) a oferecer concorrência ao polaco e Gideão (contratação dos axadrezados) não irá fazer frente ao internacional jovem português.  Na Académica saiu o emprestado Cristiano, e contratou-se o recém promovido pelo União da Madeira Trigueira. Entre Lee e Trigueira estará o titular dos estudantes, mas não existirá um a prevalecer perante o outro. Mediante o desempenho de cada um, estará o titular para determinado momento da época.

Nos recém promovidos Tondela e União da Madeira, existem mudanças significativas na baliza. No campeão da 2ºliga surge uma competição curiosa entre o decisivo Claudio Ramos na conquista da inédita subida do Tondela, com o experiente Matt Jones. O recém emprestado pelo Belenenses, pelas indicações da pré-época irá surgir como titular, mas poderá ter o seu lugar posto em causa devido à qualidade do jovem Claudio. No União surge talvez o clube que mais vai mudar até ao final do mercado. Contratou o jovem internacional português André Moreira, Ricardo Campos deslocou o ombro nestes dias e o outro é o jovem Rafael. Tinham contratado um estrangeiro que já saiu do clube e terão que ir ao mercado. Restará saber se é para encontrar uma solução para suplente de André ou para titular com créditos firmados. Prevê-se que seja a segunda opção.1796705_1408421522745112_1676585028_n

Em suma, e concluída a análise, na baliza existirá qualidade e não será por aí que nenhum clube não irá conseguir atingir os seus objectivos. Será talvez o melhor ano a nível desta posição nos últimos anos!

 

Artigo da autoria de: Gonçalo Xavier – A Última Barreira

Anúncios