Rui Pedro Bráz – “Podemos perspetivar um grande jogo, (…) ambas as equipas quererão assumir o comando das operações desde o primeiro minuto”

Rui Pedro Bráz, comentador da TVI 24 e do programa ” Contra Golpe”, aceitou fazer uma pequena antevisão ao grande clássico que se irá realizar no Domingo, no Estádio da Luz, para o Box-to-Box. Benfica e Porto medem forças no jogo que pode decidir o título nacional.

.

BOX-TO-BOX (BTB) – Se Jorge Jesus decidir tirar um dos avançados para colocar mais um elemento no meio-campo, quem deve ser o sacrificado? Lima ou Jonas? E porquê?

Rui Pedro Bráz (RPB) – Não acredito que isso seja sequer uma possibilidade em aberto. Ambos são demasiado importantes na estratégia do Benfica e nenhum deles é, neste momento, substituível no onze encarnado. Além disso, tirar um dos avançados nesta fase da prova seria passar imediatamente uma mensagem de receio não só ao adversário, mas ao próprio grupo de trabalho à sua disposição. Seria um risco demasiado grande que não acredito que Jorge Jesus tenha sequer colocado em equação. Lima e Jonas irão a jogo.

.

BTB O SL Benfica pode jogar com 2 resultados, na sua perspetiva e sendo o jogo na Luz, o Benfica irá dar iniciativa ao FC Porto e esperar resolver o jogo numa transição rápida ou irá assumir o jogo desde o primeiro minuto?

RPB – Creio que podemos perspetivar um grande jogo, uma vez que ambas as equipas quererão assumir o comando das operações desde o primeiro minuto. O Benfica porque joga em casa e quer tentar aproveitar um possível estado anímico negativo dos jogadores adversários após o desaire de Munique, e o FC Porto porque não tem interesse em nenhum resultado que não seja a vitória, se possível por uma diferença mínima de dois golos para poder sair líder da Luz a quatro jornadas do final da Liga. Tudo é possível e estaremos perante as duas melhores equipas num momento absolutamente decisivo não só para o desfecho desta temporada, mas também para o sucesso de ambos os projetos desportivos nos anos que se avizinham. Este jogo do título pode ser, quanto a mim, um momento marcante para os próximos anos de ambos os clubes.

.

BTB – Que impacto poderá ter o jogo a meio da semana do Porto, frente ao Bayern, em relação ao jogo do Estádio da Luz?

RPB – Do ponto de vista físico teria sempre um impacto relativo, uma vez que a adrenalina dos grandes momentos leva a que os jogadores se superem perante as adversidades. Além disso, cinco dias entre os dois jogos são mais do que suficientes para recuperar os índices físicos da equipa. No entanto, a questão anímica já é algo diferente. Por um lado, os jogadores do FC Porto estão feridos no seu orgulho e querem fazer tudo para mostrar que o real valor da equipa não é o patenteado na Allianz Arena. Por outro lado, uma derrota tão pesada pode deixar marcas difíceis de ultrapassar em tão pouco tempo, até na confiança dos jogadores nas suas próprias capacidades. Inevitavelmente, o 6-1 de Munique pairará como uma nuvem negra sobre os jogadores portistas durante o clássico, e como um fator de motivação para os pupilos de Jorge Jesus.

.

BTB – Quem deveria jogar no lado esquerdo da defesa do Benfica, Eliseu ou André Almeida?

RPB – Ambos os jogadores reúnem argumentos a seu favor. Eliseu defende pior mas tem uma meia distância capaz de desbloquear um resultado. Além disso, tem a seu favor a titularidade ao longo de toda a época e a experiência acumulada de seis temporadas a disputar jogos de elevadíssimo grau de dificuldade na Liga Espanhola. Por seu turno, André Almeida defende bem melhor e não provoca tantas descompensações no quarteto defensivo encarnado, interpretando melhor a estratégia da defesa em linha, bem como a gestão da ocupação dos espaços nas suas costas. Tem também a seu favor a experiência dos grandes momentos, com duas finais europeias e duas finais da Taça de Portugal no currículo e, mais recentemente, a titularidade no derby de Alvalade (aí como médio defensivo), provas irrefutáveis da confiança de que o jovem polivalente goza junto de Jorge Jesus. As duas escolhas são legítimas em função da estratégia que o técnico encarnado delinear para o jogo, mantendo sempre presente que as duplas Danilo/Quaresma e Alex Sandro/Brahimi são fortíssimas e determinantes na força do jogo ofensivo dos dragões, que encontram no jogo exterior a sua maior força.

Anúncios