Basel – por aqui passam jogadores que movem montanhas

O campeonato suíço é um dos menos competitivos da Europa. O Basel tem, neste novo século, destruído todos os concorrentes que aparecem. No total a equipa, agora comandada pelo português Paulo Sousa, tem 17 campeonatos e 11 taças da Suiça, já que neste país não se disputa a Supertaça.

Muitos foram os jogadores que começaram aqui uma carreira de futebolista ao mais alto nível. O Basel é um dos bons clubes de passagem para um futuro sucesso desportivo dos jogadores. Por estas razões o Box-to-Box viu por bem escolher a equipa suíça para a rubrica ‘E se as equipas não vendessem?’. O onze escolhido foi o seguinte:

Para a posição de guarda-redes a opção foi Sommer (Borussia Mondagblach). O guardião fez épocas de bom nível no Basel e foi o escolhido da equipa alemã para substituir o atual guarda-redes do Barcelona: Ter Stegen. Apesar das dificuldades de adaptação, tem correspondido bem às expetativas.

Schär é um dos jogadores mais influentes da equipa e um exímio marcador de grandes penalidades

O quarteto defensivo é composto por Morganella (Palermo), Dragovic (Dinamo Kiev), Schär (Basel) e Safari (Basel).  Se os dois primeiros saíram jovens do clube de origem e agora jogam em ligas mais competitivas (Dragovic é considerado um dos melhores defesas centrais do campeonato ucraniano), os outros dois são peças muito importantes no ‘xadrez’ de Paulo Sousa. Safari é internacional sueco e Schär, além de internacional suíço, é uma das estrelas da equipa, o que não é nada normal quando se é central e se tem apenas 23 anos.

0000000001878969

Rakitic começou a despontar no Basel e a partir daí a sua carreira esteve em crescente. O internacional croata é agora o substituto natural de Xavi, no ‘Tiki Taka’ do Barcelona.

O tridente de meio-campo também impressiona pela elevada qualidade dos jogadores com bola no pé: Xhaka (Borussia Modagblach), Rakitic (Barcelona) e Stocker (Hamburgo). Todos estes jogadores deixaram uma marca no Basel. E todos eles com jovens idades. Por exemplo, Rakitic está neste momento ao nível dos melhores médios-centro do Mundo, registo que não conseguiu mostrar quando jogou pela equipa suiça. Xhaka é um box-to-box valioso e Stocker é conhecido como um médio-ofensivo com muito faro de golo.

Soccer - UEFA Champions League - Play-offs - FC Basel v Sheriff Tiraspol - St Jakob Park

Shaqiri – o melhor jogador suiço da atualidade junta a perícia de saber o que fazer com a bola no pé ao seu impressionante físico

1683282163141

Salah é uma das pérolas do futebol africano. Brilhou no Basel, não teve oportunidades no Chelsea e agora tenta mostrar todo o seu valor na Fiorentina…

Para os flancos, a nossa equipa escolheu dois canhotos com grandes potencialidades: Salah (Fiorentina) e Shaqiri (Inter Milão). O primeiro está a título de empréstimo pelo Chelsea, de José Mourinho, e tem aproveitado a experiência ao máximo, já que as suas exibições têm enchido o olho até aos maiores críticos italianos. A velocidade e capacidade de drible são os pontos fortes deste jovem egípcio. Shaqiri é um jogador que está um nível acima. Esteve no Bayern Munique depois de sair do Basel, e só Robben, Ribery e Gotze lhe tiraram protagonismo na melhor equipa da Bundesliga. Decidiu dar um novo rumo à carreira e transferiu-se para o Inter à procura de mais oportunidades de mostrar o seu (grande) futebol. Este que é o melhor jogador suíço desta geração, destaca-se pelo seu físico, e capacidade fácil e oportuna de fazer golos.

Na posição de ponta-de-lança escolhemos um jogador que foi flop no Manchester City e Sporting mas foi peça importante nas restantes equipas onde jogou. Falamos de Felipe Caicedo (Espanyol). O jogador começou a dar nas vistas do Basel e foi uma das apostas (falhadas) do Manchester City na principal era do investimento do clube inglês.

baseil

A equipa do Box-to-Box também gostava de destacar os seguintes jogadores: Petric (Panathinaikos), Kuzmanovic (Inter de Milão), Die (Estugarda), Marcelo Diaz (Hamburgo), Joo Ho Park (Mainz), Marco Streller (Basel), Walter Samuel (Basel) e Xhaka (Basel) por terem estado no nosso radar para entrar neste onze.

Anúncios