Fran Mérida – Das melhores escolas do Mundo para a 2ªDivisão ‘B’ de Espanha

No Verão de 2005, o então adolescente de 16 anos, Fran Mérida, transferia-se da famosa academia do Barcelona, ‘La Masia’, para, à semelhança de Cesc Fàbregas, ingressar no Arsenal. Arsène Wenger, treinador da equipa principal dos ‘gunners’, descrevia mesmo o jogador espanhol como alguém com um talento muito acima da média e era visto como um jogador que, a médio prazo, poderia vir a ser figura de proa na equipa londrina.

Cumpriu 2 épocas nos escalões de formação do Arsenal até que, em Janeiro de 2008 – já após se ter estreado na equipa principal londrina (3 jogos na taça) – regressou a Espanha para representar o Real Sociedad, então na Liga Adelante (equivalente à nossa Segunda Liga), a título de empréstimo. A cedência ao clube espanhol foi proveitosa para o promissor médio catalão, sendo utilizado em 17 jogos nos 6 meses que representou a equipa basca e apontando 1 golo. Terminado o empréstimo, o internacional pelas camadas jovens espanholas (desde o escalão sub-17 ao sub-21 contabilizou 46 internacionalizações) viu ser-lhe concedida uma oportunidade na equipa do carismático treinador francês.  No ano 2008-2009, a estrela da equipa era Fàbregas e Mérida sonhava em seguir as pisadas do seu compatriota.

No entanto, tal não se verificou. As oportunidades foram escassas (apenas 5 jogos), mas Arsène Wenger mantinha o jogador debaixo da sua alçada, não perdendo a esperança no ainda jovem jogador. No ano seguinte, na época 2009-2010, fez somente 8 jogos e começava-se então a proporcionar o divórcio entre jogador e clube. Para não estagnar a sua evolução, teria que procurar outro clube, visto que na equipa londrina iria ser muito difícil agarrar um lugar na equipa titular face à feroz concorrência que havia (Alex Song, Cesc Fàbregas, Rosicky, Wilshere e companhia).

Acabou o seu contrato e, na época 2010-2011, Mérida voltou ao seu país para representar o Atlético de Madrid, numa altura em que a equipa da capital espanhola ainda não era o que é agora, mas apresentava uma equipa com excelentes jogadores (Agüero e Forlán, por exemplo). Contudo, apesar dos bons valores individuais nos ‘colchoneros’, ao contrário do que acontecia no Arsenal, Mérida tinha, à partida, maiores hipóteses de ser titular. Nesse ano, viria a ser utilizado em 27 ocasiões, fazendo o gosto ao pé 3 vezes. Parecia estar finalmente a demonstrar o seu potencial, mas, no Verão de 2011, Quique Flores foi substituído no comando técnico por Gregorio Manzano, que por sua vez cedeu, mais tarde, o seu lugar ao actual treinador, Diego Simeone. Quem sofreu com esta mudança técnica foi Fran Mérida, vendo ser-lhe reduzido o seu espaço na equipa da capital (apenas 3 jogos na Liga BBVA até Janeiro).

 

Fran Mérida teve uma passagem fugaz e sem deixar saudades pelo Sporting de Braga

 

Face a esta pouca utilização, os dirigentes ‘colchoneros’ optaram por ceder o jogador ao Sporting de Braga, na expectativa de ganhar um maior ritmo de jogo. Contrariando o que se esperava, o espanhol teve muitas dificuldades em adaptar-se ao estilo de jogo da equipa então treinada por Leonardo Jardim. Mérida foi utilizado em 6 míseros jogos e em nenhum deles mostrou o porquê de outrora ter sido considerado um dos mais promissores jogadores espanhóis. Findado o empréstimo e o seu contrato com o Atlético de Madrid, o espanhol viu-se obrigado a procurar, uma vez mais, novo clube.

Continuou em Espanha, desta feita ao serviço do Hércules da Liga Adelante. 19 jogos e 1 golo depois, Mérida desvinculou-se do clube espanhol e rumou ao Brasil, mais concretamente ao Atlético Paranaense da Série A brasileira. Uma opção no mínimo duvidosa do jogador, visto que ainda era bastante jovem. Ainda assim, nem numa equipa do plano secundário brasileiro, o espanhol conseguiu ser figura de destaque. A experiência transatlântica não lhe correu de feição e, nos 16 jogos (1 golo marcado) em que foi utilizado, nunca se viu em campo o jogador com um talento acima da média, como Arsène Wenger havia afirmado aquando da sua contratação.

Atualmente com 25 anos, podemos encontrar Fran Mérida nos relvados mais que secundários da 2ªDivisão ‘B’ de Espanha (equivalente ao nosso CNS), ao serviço do todo poderoso (ou não) Huesca. O espanhol continua numa sucessão de desilusões, visto que nem no clube espanhol (atual 1º classificado) consegue ser utilizado com regularidade (8 jogos, 1 golo). Veremos se o jogador tem força e vontade para dar a volta a esta rota de declínio que parece não ter fim.

Anúncios