Portugal sem deslumbramentos vence Sérvia (2-1) e dá passo de gigante rumo ao Euro 2016

Jogo grande no Estádio da Luz. Portugal não fez um brilharete, longe disso. Mas conseguiu cumprir e ser pragmático em momentos de maior tensão. Fernando Santos não esteve no banco, mas mesmo assim foi notícia: o técnico português lançou uma espécie de 4x4x2 jogando com dois avançados (Ronaldo e Danny) muito dinâmicos e apostando em movimentações para as linhas. Coentrão jogou como interior esquerdo e Eliseu saltou para o ‘onze’ na posição de lateral.

Portugal começou melhor e logo aos 11 minutos marcou. Na sequência de um canto estudado de Coentrão, Ricardo Carvalho fez de cabeça o primeiro das ‘quinas’. A seleção nacional controlou o jogo até ao intervalo. Na segunda parte, mais do mesmo. O problema é que Portugal não chegava ao golo e sofreu as consequências. Novamente na sequência de uma bola parada, Matic fez um golaço acrobático de levantar o estádio, não estivesse repleto de adeptos portugueses. Mas o momento do jogo aconteceu logo de seguida, quando a seleção portuguesa respondeu com um golo, após grande jogada coletiva: Moutinho tabelou com Ronaldo, fez um cruzamento milimétrico para a área e Coentrão apareceu ao segundo poste para concluir, de pé esquerdo. Portugal aguentou bem o jogo até ao fim, sem cometer grandes loucuras e extravagâncias.

Ricardo Carvalho marcou o primeiro golo mas saiu pouco mais tarde, após lesão

Ricardo Carvalho marcou o primeiro golo mas saiu pouco mais tarde, após lesão

Momentos e destaques do jogo:

Dinamismo tático – não é fácil para estes jogadores se entrosarem quando jogam apenas de três em três meses. Mas desta vez nem se notou. Coentrão, Nani, Danny e Ronaldo foram trocando entre eles as posições de extremos e avançados, e Portugal jogou num futebol de apoio. O resultado foi trocar muitas vezes as voltas da defesa sérvia e abrir espaços para outros jogadores aparecerem.

Coentrão e Moutinho a todo-o-terreno – Se Nani e Danny foram quase uma nulidade com a bola no pé, outros jogadores atuaram a grande nível. Moutinho fartou-se de recuperar bolas e ainda funcionou como primeiro construtor de jogo da seleção. O médio do Monaco ainda fez a jogada para o segundo golo das quinas. Já Coentrão pareceu à partida uma incógnita, quando Fernando Santos o colocou no meio-campo mas não defraudou as expetativas do mister. Jogou e fez jogar. Pena não estar em grande condição física e ter de sair com cãibras. Assistiu Ricardo Carvalho no primeiro golo e concluiu o segundo a passe de Moutinho.

Sérvios só assustaram 2 minutos – A equipa dos balcãs, apesar de não ser top-mundial, tem alguns jogadores que podem caber nesse registo. Matic fez um grande golo, mas sem ser esse lance, os sérvios pouco assustaram a baliza de Rui Patrício. Destaque também para o lado esquerdo, onde Kolarov e Tadic deram trabalho de sobra a Bosingwa e companhia. A Sérvia tem apenas um ponto em quatro jogos e dificilmente vão conseguir passagem ao Euro 2016.

Anúncios