Mauro Eustáquio – “No Canadá o futebol está em «aprendizagem»”

Nazareno de gema, Mauro Eustáquio voou para o Canadá com apenas 13 meses. Ganhou o gosto pelo futebol quando, aos 11 anos, regressou a Portugal. Juntou-se ao clube da vila e mostrou atributos que mais tarde o fariam entrar no União de Leiria. Passou também pelo Pombal e Naval. Foi nessa altura que recebeu um convite. Inesperado, desafiante. A oportunidade de jogar pela selecção canadiana sub-20. Bastaram alguns jogos, e muita destreza, para aparecer um outro desafio (este, talvez, mais arriscado): jogar pela equipa canadiana Ottawa Fury FC. E é lá que, desde 20 de fevereiro de 2014, tem exibido o seu talento, qualidade e técnica. O médio mostra que nem só de ondas é feita a Nazaré.

 

Mauro - Equipa Ottawa Fury

Mauro Eustáquio na equipa atual – Ottawa Fury FC.

.

BOX-TO-BOX –  Atualmente joga no Ottawa Fury. Como surgiu o convite?

MAURO EUSTÁQUIO (ME) – A oportunidade surgiu devido ao meu percurso nas Seleções Jovens do Canadá. O mister Phil Dos Santos, que agora é responsável pelas camadas jovens do Ottawa Fury FC e que na altura era treinador adjunto da seleção sub-20, disse-me que havia a oportunidade de Ottawa ter equipa profissional e que ele e o irmão, mister Marc Dos Santos, iam estar à frente do projecto. Após o torneio da Francophonia, em França, entraram em contacto comigo e explicaram-eme o projecto e a filosofia que queriam para o clube. Para eles eu encaixava no clube e eu também me identifiquei de imediato com o que eles queriam.
.

BTB – Depois de várias épocas de bom nível nos campeonatos nacionais ao serviço do Leiria, não estranhou a falta de convite para jogar numa liga profissional em Portugal?

ME – Sempre tive esperança de ser colocado numa equipa profissional, após dois anos de Júnior a passar as fases finais e a jogar com regularidade. Apesar de ser difícil, sempre mantive os pés bem assentos na terra e nunca sonhei muito alto. Infelizmente não consegui encaixar em nenhuma equipa. Mas depois de muito trabalho e dedicação, consegui chegar ao meu objetivo que era tornar-me jogador profissional. A partir de agora é trabalhar para conseguir sempre mais e melhor para a minha carreira.
.

BTB – Como foi a adaptação a um país diferente?

ME – Regressar ao Canadá, o país que me viu crescer, teve os seus lados positivos e negativos. É sempre difícil começar do zero e deixar tudo para trás, principalmente porque sou muito próximo da minha família e amigos. Apesar disso, correu com normalidade e adaptei-me facilmente porque conhecia a língua e o estilo de vida. Tudo fica mais fácil quando gostas do que fazes. Nos dias em que estava em baixo acordava a pensar “vou jogar futebol”, e isso ajudava-me e dava-me forças.

.

BTB – Sabemos que tem dupla nacionalidade e que atuou no escalão de sub-20 pelo Canadá. Se lhe dessem oportunidade de representar uma seleção A, que país escolheria: Portugal ou Canadá? E porquê?

ME – Tudo que conquistei até hoje em palcos internacionais devo à Seleção Canadiana. Foram eles que apostaram em mim e me deram condições para mostrar a minha qualidade. Caso existisse esse convite escolheria, apesar da grandeza da Seleção Portuguesa, o Canadá. Seria uma maneira de agradecer tudo o que fizeram por mim.

.

BTB – Sonha um dia jogar na MLS, principal liga norte-americana?

ME – Sim, tenho esse objectivo. O meu objetivo pessoal é conseguir sempre mais e melhor e a MLS está a crescer a olhos vistos. O campeonato é cada vez mais respeitado e traz grandes jogadores de todo o mundo. Sonho um dia lá chegar.

Mauro - Preparação época 2015

O médio na preparação para a época 2015.

BTB – Em termos de condições de trabalho, as academias existentes no Canadá assemelham-se às existentes em Portugal?

ME – As condições de qualquer equipa profissional Canadiana, que tenha academias, são impressionantes. Conseguem reunir desde bens materiais, staff, etc., essenciais para qualquer jogador vingar no mundo do futebol. Em Portugal só nos clubes de top é que não falta nada a um jogador jovem nas academias. No Canadá, qualquer clube que seja considerado profissional, tem tudo para poder evoluir em condições.

.

BTB – Qual a maior diferença entre jogar num campeonato europeu e jogar num futebol que tem vindo a evoluir, mas que ainda não tem o estatuto do futebol europeu?

ME – Existem muitas diferenças entre Portugal e o Canadá a nível futebolístico. O futebol português é mais atrativo. É mais técnico, mais pensado e mais interessante de se ver. Em Portugal é o desporto rei e acho que isso diz muito. No Canadá o futebol é um desporto novo e uma parte da população ainda está na “fase de aprendizagem”. É mais físico, mais rápido e muitas das vezes é preciso jogar mais com o “pulmão” do que com outra coisa. Tenho a certeza que com a chegada dos grandes nomes do futebol mundial isso mudará.

.

BTB – O que mais gosta da vida no estrangeiro e do que sente mais falta em Portugal?

ME – Gosto muito do Canadá. É um país lindo de se conhecer e a população é bastante civilizada e correcta. Até agora não tenho queixas nenhumas. Enquanto lá estive senti falta de muita coisa. Senti falta da minha família e amigos principalmente. Depois são pormenores que eu achava que podia passar sem eles no meu dia a dia, mas não dá. O simples facto de não haver possibilidade de comer peixe fresco todos dias foi uma das coisas que mais me faltou.

.

BTB – Onde gostava de poder acabar a carreira?

ME – Gostava de ter uma carreira longa. Existem tantos clubes que qualquer jogador de futebol sonha jogar e eu sou apenas mais um. Tenho consciência das minha capacidades e até onde posso chegar. Quero jogar ao mais alto nível durante muito tempo. Ainda é cedo para falar do fim da carreira.

 .

                                                                 Melhor jogador na NASL: Richie Ryan – Ottawa Fury FC
                                                                 Melhor jogador na MLS (última época): T. Henry
                                                                 Médio-centro preferido: Xabi Alonso
                                                                 Ídolo: Lucho Gonzales

Anúncios