Frieza atacante dá vitória ao Wolfsburgo

São onze contra onze e, no final, ganha a Alemanha. Mais uma vez, a velha máxima do futebol tornou a prevalecer. O Sporting perdeu, esta quinta-feira, por 2-0 em Wolfsburgo nos 16 avos-de-final da Liga Europa.

Nuns primeiros 45 minutos disputados essencialmente no meio-campo, foi o Wolfsburgo a ter mais oportunidades de inaugurar o marcador (aos 16 minutos, Rui Patrício efectua uma excelente defesa após remate de Schurrle; ao minuto 19, Paulo Oliveira cortou para canto, de forma in extremis, uma bola que já se preparava para cair nos pés de Dost; aos 39 minutos, remate perigoso de Vieirinha). No entanto, o Sporting nunca abdicou do ataque e aos 34 minutos, numa jogada rápida de contra-ataque, Carrillo faz a bola passar a milímetros da baliza defendida por Diego Benaglio. Importa referir que, a fechar a primeira parte, há um penalty claro a favor da equipa de Alvalade que não é assinalado. Após um cruzamento, Vieirinha disputa o lance com o braço completamente esticado e a bola acaba por lhe embater na mão. O israelita Alon Yefet fez vista grossa e a verdade é que o Sporting acaba por ter novamente razões de queixa da arbitragem em território alemão.

Germany Soccer Europa League

O golo de Bas Dost no início da segunda parte parece ter desorientado um pouco a equipa portuguesa e os erros infantis no capítulo do passe foram-se sucedendo. Em vantagem no marcador, os alemães procuraram sempre jogar pelo seguro. As desconcentrações defensivas do Sporting não paravam e o segundo golo do Wolfsbrugo acabou por aparecer naturalmente. Aos 63 minutos, e após assistência de Kevin de Bruyne, Dost bisa na partida (Paulo Oliveira falha na marcação e o avançado alemão acaba por aparecer nas suas costas).

O Sporting regressa a casa com dois golos sofridos e nenhum marcado, mas a eliminatória não está decidida!

Factos positivos a reter:

  1. Rui Patrício. O guarda-redes português parece não ter mesmo visto o vídeo da Sagres e, se não fosse ele, tendo em conta o número de erros que o sector defensivo leonino cometeu, o resultado poderia ser bastante mais pesado para a turma de Alvalade. Exibição de grande categoria, a mostrar que é um excelente guarda-redes e que momentos maus todos nós temos.
  2. Kevin de Bruyne. O miúdo é mesmo um craque! Tanto a definir o ritmo de jogo, como a sair em transições ofensivas para depois aparecer em zonas de finalização, o médio belga parece fazer tudo de uma forma natural e simples, o que deixa qualquer amante de futebol completamente deslumbrado. Sendo um jogador técnica e tacticamente acima da média, é de esperar que os verdadeiros tubarões do futebol o venham buscar mais tarde ou mais cedo.

Factos negativos do encontro:

  • Schurrle. Apesar de ter ajudado bastante nas tarefas defensivas, a verdade é que, no processo ofensivo, o alemão não demonstrou a preponderância que um jogador de 30 milhões de euros deve ter.
  • Fraca exibição dos extremos leoninos. Tanto Nani como Carrillo (e depois Mané) não foram capazes de dar profundidade ao jogo do Sporting, não criando verdadeiras dificuldades aos laterais do Wolfsburgo.
Anúncios