FC Porto empata em Basileia e está em vantagem na eliminatória; Debilidades suíças fazem antever facilidades no Dragão

FC Porto realizou uma boa exibição após o susto inicial. O golo de Derlis González ao décimo minuto causou alguma instabilidade na equipa portuguesa, mas  os dragões reagiram rapidamente e acertaram marcações.
A segunda parte iniciou-se com um golo (bem) anulado ao FC Porto, mas foi um presságio para o que viria a acontecer no resto do jogo.
Danilo empatou na conversão de uma grande penalidade (79′) e os dragões estão muito bem encaminhados para os quartos-de-final.

González marcou no único remate à baliza feito pelo Basileia

González marcou no único remate à baliza feito pelo Basileia

Basileia muito faltoso: os jogadores do Basileia usaram e abusaram das faltas perante um árbitro com critério largo. Pedia-se maior autoridade ao moderador da partida.

Oliver em alta rotação: O número 30 do FC Porto esteve sempre em jogo e foi o melhor elemento da partida até ter saído lesionado. Na segunda parte foram vários os passes longos, com o objectivo de aproveitar a velocidade dos alas.

Quaresma entrou e o Porto melhorou: Boa entrada do número 7, a utilizar a sua cultura táctica para confundir os suíços. Está ligado ao lance que originou o penalty que deu o empate ao FC Porto.

Jogo no Dragão adivinha-se fácil: Foi notória a superioridade do FC Porto em relação ao Basileia. Para além das individualidades, o conjunto dos dragões tem uma noção táctica que o Basileia não detém.

Casemiro falhou diversos passes ao longo da partida

Casemiro falhou diversos passes ao longo da partida

Anúncios