Pelé – Selo de qualidade expirado

Vítor Hugo Gomes Passos, vulgo Pelé, começou a dar os seus primeiros no histórico Boavista, ingressando mais, com idade juvenil, no Salgueiros. A sua qualidade levou-o até aos juniores do Benfica onde seria orientado pelo actual técnico do Vitória de Guimarães, Rui Vitória. No emblema da luz manteve-se apenas durante 6 meses, onde em Janeiro se mudou, ironicamente, para o Vitória de Guimarães. Na época seguinte, em 2006-2007 subia à primeira equipa do Vitória onde daria nas vistas de tal forma que o levou a merecer uma convocatória para a equipa de sub-20 que iria representar Portugal no Mundial Sub-20, no Canadá, ao lado de nomes como Fábio Coentrão, Rui Patrício e Antunes, por exemplo. A equipa das quinas teve uma prestação muito fraca (3ª melhor classificada, atrás de México e Gâmbia, sendo depois eliminada pelo Chile), mas o médio aproveitou bem a montra. Com exibições de grande nível, Roberto Mancini, treinador do Inter de Milão, não perdeu tempo e adquiriu a jovem promessa portuguesa. A época correu-lhe bem (22 jogos, 2 golos), mas com a chegada de José Mourinho ao Inter, o jovem perdeu espaço e foi usado como moeda de troca na transferência de Quaresma.

PELE1

Pelé, chegava então à Invicta onde se pensava que desse continuidade às boas exibições em Itália, mas a verdade é que foi apenas mais um e esteve muito longe de se destacar pela positiva. Contabilizou apenas 2 jogos na Liga Portuguesa (7 no total) e foi então cedido, em Janeiro, ao Portsmouth, onde iria encontrar Pedro Mendes. Em 2009-2010, rumou a Espanha, mais concretamente no Valladolid. Voltou então ao Dragão, mas sem grande espaço de manobra viu-se então obrigado a procurar outro clube para continuar a sua carreira. Em 2010 assinou pelo Eskisehirspor, na Turquia, onde durante 3 anos foi figura habitual no onze da equipa, mas muito longe dos holofotes em que outrora figurou. A época passada mudou-se para a Grécia. No Ergotelis também continuou o bom trabalho demonstrado na Turquia, mudando-se em Janeiro para o actual campeão grego, Olympiakos, mas nunca conseguiu agarrar o seu lugar. Este ano, para mal dos seus pecados, encontra-se sem clube estando ainda a tentar dar um novo rumo à sua carreira. Que triste trajectória que a ex-promessa portuguesa teve. Com certeza muito jeito dava a umas quantas equipas da Liga Portuguesa.

Anúncios