Benfica pragmático volta a vencer no Dragão 9 anos depois

O Benfica venceu o FC Porto por 2-0, com dois golos de Lima (já são 7, os golos marcados ao emblema portista). Uma vitória que prima pelo pragmatismo e eficácia benfiquista. Porto sempre mais pressionante e dominante, mas sem efeitos práticos. Ambos os clubes fizeram 9 alterações na equipa inicial relativamente ao último jogo na Liga dos Campeões, sem grandes surpresas.

1024

Lima- Este ano, o brasileiro, tem sido uma espécie de patinho feio entre a massa associativa benfiquista, mas a verdade é que hoje foi decisivo. Sempre no sítio certo e sem dar muito nas vistas. No jogo da jornada passada também havia sido ele a desbloquear o nulo no embate com o Belenenses.

Brahimi-Tello/André Almeida-Maxi Pereira- Aquele cartão amarelo, logo a abrir o jogo, a castigar falta de André Almeida sobre Tello, fazia prever algo que acabou por não se suceder. Brahimi bem tentou com algumas investidas, mas hoje foi pouco assertivo. O espanhol começou a acelerar o jogo, arrancando o tal cartão, mas cedo perdeu gás, com muitos livres mal marcados e lances sem nexo. Os culpados por isto foram os laterais benfiquistas, que fizeram da competência e assertividade as suas maiores armas, limpando assim os extremos portistas. Destaque ainda para a assistência do uruguaio para o primeiro golo de Lima.

Jackson Martínez- É, sem dúvida, o melhor avançado do nosso campeonato. Aliás, é avançado para outros campeonatos. Hoje foi ele mais uma vez a ser o elemento mais perigoso e, a meias com algum azar, teve duas bolas na barra e um golo (bem) anulado.

Pragmatismo benfiquista- O Benfica este ano é isto mesmo. Não procuram a nota artística, procuram apenas a vitória, e é assim que deve ser. Com uma posse de bola muito inferior e menos 8 remates que o FC Porto, a verdade é que voltou a não sofrer golos para o campeonato (3º jogo consecutivo) e a demonstrar uma eficácia brutal.

Estreantes- De destacar também a quantidade de jogadores que se estrearam hoje no clássico dos clássicos. Marcano, Martins Indi, Óliver, Casemiro, Tello, Brahimi e Aboubakar da parte do Porto. César, Samaris, Talisca e Pizzi do lado benfiquista.

Julen Lopetegui– Continua sem conseguir ganhar frente aos opositores directos. Um empate (em Alvalade) e uma derrota (no Dragão) ante o Sporting e agora mais uma vez a ser derrotado, desta feita pela turma de Jorge Jesus. O espanhol, vê assim o Benfica a ficar a 6 pontos de distância e, tendo em conta que o Benfica está agora apenas nas competições internas, fica uma tarefa mais difícil para os comandados do ex-seleccionador dos sub-21 espanhóis.

Jorge Jesus- Finalmente conseguiu vencer no Dragão para a liga. Era o maior nó na garganta do técnico e, hoje, finalmenteu conseguiu desatar esse nó.

Anúncios