OPINIÃO – João Mário, Paulo Oliveira. Segue-se Miguel Lopes?

Marco Silva chegou ao Sporting com a equipa-base da época passada, de Leonardo Jardim. No início do ano de jogadores novos no plantel só o mediático Nani ganhou lugar garantido.. e tem correspondido da melhor maneira possível, com bons jogos e golos muito importantes.

300gzn5

Mas com o passar dos jogos, o ex-treinador canarinho mostrou inteligência em pequenos ajustes: primeiro tirou André Martins, jogador muito em baixo de forma e que passou do 80 para o 8, tendo em conta a sua pré-temporada. Para o seu lugar, o menino bonito João Mário que tem encantado os adeptos pela sua forma de jogar tanto a defender como a atacar. Depois, e com a saída de Rojo para o Manchester United, o treinador Marco Silva apostou em Sarr, uma aposta falhada, tendo em conta os pontos perdidos, à custa do francês. Entrou para o seu lugar, há um par de jogos, Paulo Oliveira. O ex-vitória mostrou ser pedra fundamental na defesa leonina e até já roubou o protagonismo ao seu companheiro Maurício.

Jonathan Silva também tem substituído Jefferson na lateral esquerda do Sporting: neste caso mais pela lesão do brasileiro do que pelo forte desempenho do argentino, apesar das atuações esforçadas e sem comprometer o resto da equipa.

visaodemercado.blog

Mas é na outra faixa, na minha opinião, que as coisas podem mudar num curto/médio período de tempo: Cedric, recentemente internacional ‘A’, é um jogador interessante do ponto de vista ofensivo, sendo a eficácia dos seus cruzamentos para a área adversária um dos seus pontos fortes. Mas apesar de pequeno (1,72m) e franzino (68kg), também é fraco no jogo defensivo o que traz calafrios à bancada quando encontra extremos com alguma qualidade técnica e individual. É aqui que Miguel Lopes, também ele internacional português, fica a ganhar: é mais alto (1,82m), tem mais físico (76kg), é forte a defender e é igualmente interessante na ajuda para o ataque. Na época passada ao serviço do Lyon, de França, foi titular indiscutível até meio da época, depois de enfrentar uma grave lesão (fez ainda assim 31 jogos). Outra vantagem de Miguel Lopes é a polivalência, podendo ocupar as duas faixas laterais sem grandes aflições no seu rendimento.

E com certeza, não foi à toa que foi chamado por Marco Silva a integrar o plantel verde e branco. Tão certo, também, foi o jogador abdicar de parte do salário e de alguns prémios de jogo (imposição de Bruno Carvalho) para poder ser opção para o treinador, mostrando além de outras coisas, o ‘sportinguismo’ assumido pelo próprio.

O Sporting ganhou maior segurança com Paulo Oliveira e respira melhor quando tem bola, com João Mário. Poderá também ganhar uma nova dinâmica de jogo com Miguel Lopes. A ver vamos..

                                                 Rui Sousa

Anúncios