Vitória de Setúbal: um campeonato tranquilo é o principal objectivo

O Vitória de Setúbal entra para esta época com a moral em alta. O ano passado, apesar do mau arranque de campeonato, terminou em 7º lugar, ficando perto de conseguir um lugar para as competições europeias. Para este novo ano houve várias alterações, com a saída de jogadores importantes e do treinador. Domingos Paciência é o novo líder da equipa e promete criar uma equipa competitiva, à imagem do que os sadinos nos habituaram.

Pontos fracos: olhando para a equipa sadina, o principal problema é a falta de uma referência no ataque. Rafael Martins, avançado titular do ano passado, apontou 14 golos no campeonato e transferiu-se para o Levante. Para este ano, as principais soluções ofensivas são Giovanni, avançado brasileiro de apenas 22 anos, e Rachide Forbes, que actuou no Sporting da Covilhã na última época. São dois avançados jovens e com pouco conhecimento de Primeira Liga, que não dão as mesmas garantias do ano passado.

Pontos fortes: O meio-campo, principalmente o ofensivo, é o trunfo dos sadinos. Apesar de ter perdido muitos jogadores importantes nesse sector, os sadinos conseguiram manter e ir buscar jogadores muito desequilibrados, que podem fazer a diferença em qualquer jogo. Zequinha é um exemplo disso. O português tanto pode actuar como ponta-de-lança ou nas alas, e a sua velocidade costuma fazer muitos estragos nas defesas contrarias. Manú também confere muita velocidade ao ataque e a sua experiência, já passou por vários clubes em Portugal e no estrangeiro, pode ser muito útil ao Vitória.

Pilar: Pedro Queirós. O defesa-direito vai para a sua terceira época no clube e é o capitão de equipa. Tem um vasto currículo no futebol português e é o patrão da defesa. O jogador português é seguro a defender e apoia bem o ataque.

Estrela: O jogador que mais se destaca na equipa é Miguel Pedro. O médio, que tanto pode actuar no meio como nas alas, é o maestro que define os momentos ofensivos da equipa sadina. A sua qualidade de passe e visão de jogo fazem com o médio ofensivo se evidencie dos restantes companheiros.

Joker: João Schmidt é um jogador que vai fazer a diferença. O brasileiro é um box-to-box, tanto joga a 6 como a 8, e consegue apoiar a equipa nos momentos defensivos e ofensivos. O jovem, de apenas 21 anos, chega a Setúbal por empréstimo do São Paulo, e a sua margem de progressão é muito grande.

Contratação: A grande contratação foi Lukas Raeder. O guarda-redes alemão chega do Bayern de Munique, onde na temporada passada fez dois jogos na Bundesliga. Apesar de ainda ser muito novo, 20 anos, o alemão tem bons reflexos entre os postes e dá segurança à defesa.

Mister: O treinador é Domingos Paciência. O treinador conta com passagens pelo Porto B, União de Leiria, Académica, Sporting de Braga, Sporting Clube de Portugal, Deportivo de la Coruña e Kayserispor (Turquia). No Braga foi onde teve mais sucesso, conseguindo um segundo lugar no campeonato e uma presença na Liga Europa, onde foi derrotado na final pelo FC Porto.

Classificação: O campeonato para o Vitória de Setúbal vai ter uma longa maratona, onde o principal objectivo vai ser a permanência. Tendo em conta a qualidade da equipa e a experiência do seu treinador, um lugar a meio da tabela é a posição mais provável.

Anúncios