Argélia qualifica-se para os oitavos de final e faz história; Slimani foi decisivo, Akinfeev voltou a comprometer

Argélia e Rússia encontraram-se ao inicio da noite para lutar pela última vaga para os oitavos de final. Os argelinos partiam em vantagem, pois um empate chegava para a passagem à próxima fase. Já os russos estavam obrigados a vencer. Fabio Capello retirou Kannunnikov para colocar Kerzhakov no onze inicial. Do lado das raposas do deserto, uma alteração também se registou face ao onze que goleara a Coreia do Sul, com a entrada do central Belkalem. A Rússia entrou muito rápida na circulação e aproveitou o facto de que Feghouli estava a ser assistido fora das 4 linhas para atacar pelo lado com menos jogadores. Cruzamento milimétrico desde a esquerda para a cabeça de Kokorin, que, sozinho, apareceu desde trás e faz o primeiro para os russos. A Rússia não baixou o ritmo e continuou à procura das redes da baliza de M´bohli. A Argélia tentava sair a espaços e apenas ao minuto 26 fez o primeiro remate de relativo para Akinfeev, que segurou bem. Dois minutos depois, Slimani com um grande cabeceamento obrigou Akinfeev a uma espectacular defesa em voo, no entanto, o lance foi precedido de falta e, por isso, invalidado. Aos 30 minutos o avançado argelino que actua no Sporting voltou a cabecear para as redes russas mas o remate saiu à figura. Até ao final da primeira parte o jogo foi muito disputado e a bola chegou com facilidade quer à baliza argelina quer à russa. A segunda metade começou com a Rússia à procura de aumentar a vantagem e acabou mesmo por estar muito perto de o fazer, com o guardião argelino a ter uma excelente intervenção num lance de um para um com Samedov. Numa sequência de livres laterais perigosos, a Argélia conseguiu chegar ao empate através de Silmani. Akinfeev calculou mal o tempo de saída e o avançado leonino, nas costas do guardião russo, cabeceou para a baliza deserta. Com este resultado a formação russa estava fora e, por isso, os seus jogadores foram para cima da Argélia numa corrida contra o tempo. Com o controlo russo – ainda que inconsequente -, os africanos tentavam sair em contra-ataque e ainda criaram algumas oportunidades de perigo. Até ao final, os russos pressionaram a defesa argelina, mas os agora recém-qualificados resolveram sempre as investidas russas.

slima

Box-to-box: Mais um bom jogo neste Mundial, com ritmo bastante elevado e muito combativo, em que o empate se aceita. A Rússia apareceu mais forte no inicio do jogo e, mesmo controlando grande parte da partida, foi pouco esclarecida no ataque e uma desatenção de Akinfeev foi altamente penalizante. Kombarov e Shatov foram os jogadores em mais destaque na primeira parte, tendo o primeiro feito uma excelente assistência. O ataque russo foi poucas vezes eficaz e, apesar de ter agitado com o jogo, a tão reclamada entrada de Kerzhakov no onze pouco acrescentou. Do lado argelino, destaque para três unidades: Halliche, Feghouli e Slimani. O defesa central e capitão da Argélia esteve sempre muito seguro, sobretudo na segunda metade. O médio do Valência entregou-se ao jogo e foi muito combativo. Já Slimani foi sempre muito perigoso pelo ar e acabou por ser absolutamente decisivo com o seu cabeceamento para golo. Nota também para M’bohli, que, estando isento de culpas no golo da Rússia, esteve sempre muito seguro e fez uma defesa em mancha que valeu um golo.

Anúncios